Estresse oxidativo em clones de seringueira sob ataque de antracnose-das-folhas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-09-02

Orientador

Cataneo, Ana Catarina
Furtado, Edson Luiz

Coorientador

Pós-graduação

Ciência Florestal - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (idioma não especificado)

As plantas defendem-se continuamente contra ataques de bactérias, vírus, fungos, invertebrados e outras plantas. O estresse oxidativo é um tipo de resposta fisiológica da planta após o reconhecimento do patógeno, podendo resultar em sintomas diversos, dependendo da sensibilidade, e dos mecanismos de defesa da planta hospedira. Situações de estresse impostas por diversos fatores, como de estresse biótico, que resulta da ação de micro-organismos patogênicos, nematóides e artrópodes e de interações simbióticas bactéria/cianobactéria/fungoplanta, são de enorme relevância para o crescimento, desenvolvimento, produtividade e sobrevivência dos hospedeiros. A antracnose causada por Colletotrichum gloeosporoides, constitui um sério problema para a cultura da seringueira [Hevea brasiliensis (Willd. Ex Adr. De Juss) Müell. Arg.] no Estado de São Paulo. Este fungo ataca diversas partes da planta ou atua como saprófita associado a outros patógenos, prejudicando o crescimento, desenvolvimento e a produtividade. Foram analisadas alterações bioquímicas em folhas de mudas de três clones de seringueira RRIM 600, GT1 e PR255 infectadas pelo fungo C. gloeosporoides, observando os indicadores de estresse oxidativo (lipoperóxidos, peróxido de hidrogênio, pigmentos fotossintéticos e açúcares solúveis) e enzimas antioxidantes (glutationa S-transferase- GST, superóxido dismutase-SOD e peroxidase-POD) relacionadas com proteção contra estresse. Neste trabalho foi observado que a infecção por C. gloesosporoides em plantas H. brasiliensis causa estresse oxidativo, detectado pelo aumento dos teores de peróxido de hidrogênio, acúmulo de carboidratos solúveis e degradação dos teores de clorofila a, b e total. A elevação da atividade das enzimas antioxidantes, GST, SOD e POD nos clones...

Resumo (inglês)

Plants defend themselves against attacks by continuously bacteria, viruses, fungi, invertebrates and plants. Oxidative stress is a type of physiological response of plants after pathogen recognition and may result in various symptoms, depending on the sensitivity of the host and the mechanisms of plant defense. Situations of stress imposed by various factors such as the examples of biotic stress, which results from the action of pathogenic microorganisms, nematodes and arthropods and symbiotic interactions of bacteria / cyanobacteria / plant-fungus are of great significance to the level of growth, development, productivity and survival of the hosts. The anthracnose caused by Colletotrichum gloeosporoides, is a serious problem for the cultivation of rubber [Hevea brasiliensis (Willd. Ex Adr. De Juss) Müell. Arg.] in São Paulo State. This fungus attacks the plant parts or acts as a saprophyte associated with other pathogens hampering growth, development and productivity. It was analyzed biochemical changes in leaves of seedlings of three tree clones RRIM 600, PR255 GT1 and infected by C. gloeosporoides, such as, indicators of oxidative stress (lipoperoxides, hydrogen peroxide, photosynthetic pigments and soluble sugars) and antioxidant enzymes (glutathione Stransferase- GST, superoxide dismutase-SOD and peroxidase-POD) related to protection against stress. In this study it was observed that... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Idioma

Português

Como citar

FIORI, Maíra dos Santos. Estresse oxidativo em clones de seringueira sob ataque de antracnose-das-folhas. 2011. xii, 83 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas, 2011.

Itens relacionados

Financiadores