Cartografias de mulheres na prostituição: territórios, heterotopias e suas interfaces com a psicologia

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-06-16

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Nesta pesquisa, buscamos realizar cartografias das experiências existenciais de mulheres que se prostituem e dos territórios voltados à prostituição feminina adulta em um município interiorano e de pequeno porte populacional, localizado na região sudeste do Estado de Mato Grosso do Sul - MS. Consideramos a prostituição de mulheres adultas como movimento e conjunto de forças culturais, econômicas, políticas, psicológicas e sociais que se entrecruzam em espaços e tempos determinados, tendo como finalidade principal a oferta de relações sexuais em troca de dinheiro. Para mapearmos as experiências vividas por diferentes mulheres na prostituição, recorremos à abordagem qualitativa de pesquisa em Psicologia e aos aportes teóricos advindos dos Estudos Culturais e da Teoria Queer, além de importantes leituras descritas por Michel Foucault. A cartografia e a observação participante nos auxiliaram nas atividades de campo e na realização de entrevistas de longa duração com 10 (dez) mulheres que atuavam em diferentes territórios/espacialidades da prostituição da cidade, como bares, casas e ruas. Tivemos a preocupação de entrevistar apenas as bio-mulheres adultas – mulheres em termos biológicos, portadoras do órgão sexual feminino (PRECIADO, 2008) –, de diferentes idades, raças/cores e classes sociais e de distintas trajetórias de vida pessoal e profissional. Diversos fatores contribuíram para a entrada e a permanência de nossas participantes na prostituição, desde as histórias de violências estruturais e de gêneros, vividas da infância à idade adulta, até a tentativa de romper com um ideal binário de feminilidade, destinado ao casamento e à procriação. Observamos ações do contrapoder feminino, demonstrando, por meio de diferentes táticas de resistências, “que nem tudo está à venda na prostituição” (BURBULHAN, et al, 2012). Em outras palavras, as mulheres com as quais dialogamos neste estudo rompem com a imagem da mulher prostituta enquanto pessoa imoral, vitimizada, desregrada e destruidora dos bons costumes. São mulheres Queers, inomináveis, e que escapam dos ideais identitários normativos e dualistas de a “santa/puta”, ao mostrarem, através do uso de diferentes denominações políticas, que variações do humano são possíveis, até mesmo nos vários territórios da prostituição. Os resultados apontam ainda a ausência de pesquisas sobre esta temática por parte de profissionais e/ou pesquisadores/as psicólogos/as no Estado de Mato Grosso do Sul e a necessidade de novos estudos a serem concretizados pela Psicologia sobre a prostituição de mulheres adultas em pequenos centros urbanos e em cidades do interior do país. Histórias de vida, cartografias, heterotopias, relações de gêneros e de poder, territórios, classes sociais, raças/cores, sexualidades e suas interfaces com a Psicologia são os temas que direcionam o caminhar dialógico desta pesquisa.
In this research, we intend to do cartographies of the existential experiences of prostituted women and the territories focused in adult female prostitution in a small-town located in the southeastern of Mato Grosso do Sul - MS. We consider prostitution of adult women as a movement and a set of cultural, economic, political, psychological and social forces that intersect in certain space and time, with the main purpose to offer sex in exchange for money. To map out the experiences of different women in prostitution, we make use of qualitative research in Psychology and theoretical contributions from Cultural Studies and Queer Theory, besides important readings described by Michel Foucault. The cartography and participant observation assisted us in the field research and conducting long interviews with ten (10) women who usually worked in different territories/spatiality of prostitution in the city, such as bars, homes and streets. We had the concern to interview only bio-adult women – ―women in biological terms, carrying the female sexual organ‖ (PRECIADO, 2008) – of different ages, races/colors and social classes and different paths of personal and professional life. Several factors contributed to the entry and stay of these research collaborators in prostitution, since the stories of structural and gender violence – lived from childhood to adulthood – until the attempt to break with an ideal torque of femininity destined to marriage and procreation. We observe actions of female counterforce, demonstrating through different tactics of resistance, like ―not everything is on sale in prostitution‖ (BURBULHAN, et al, 2012). In other words, women with which we dialogue in this study, break with the image of woman prostitute as ―immoral victimized person‖, dissolute and destructive of morality. They are Queer Women, unspeakable, and who escape from the ideals of normative and dualistic identity "saint/whore", to show, through the use of different political denominations, that variations of human beings are possible even in different prostitution territories. The results also point to the absence of research on this topic by professionals and (or) researchers psychologists in Mato Grosso do Sul and the need for new studies to be made on adult female prostitution in small and provincial-towns. Life stories, cartographies, heterotopies, gender and power relations, territory, social classes, races/colors, sexualities and its interfaces with Psychology are the themes that lead the dialogic path of this research.

Descrição

Palavras-chave

Cartografias, Prostituição feminina adulta, Psicologia, Territórios, Cartographies, Adult female prostitution, Psychology, Territories

Como citar