Prevalência, classificação e características do refluxo cecoileal diagnosticado pelo enema opaco

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-04-01

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem

Resumo

OBJETIVO: Verificar, retrospectivamente, a prevalência do refluxo cecoileal diagnosticado pelo enema opaco, caracterizar sua distribuição etária e sexual e classificá-lo conforme o grau de intensidade. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram revistos 715 enemas opacos, incluindo 268 homens e 447 mulheres com idade média de 54 anos. RESULTADOS: Dos 715 casos examinados, 46,5% apresentaram refluxo cecoileal, sendo 45% do tipo leve, 37,5% do tipo moderado e 17,5% do tipo severo. Refluxo cecoileal esteve presente em 48,3% das mulheres e em 43,6% dos homens. A distribuição percentual do refluxo cecoileal por faixa etária mostrou 46,1% nos indivíduos com menos de 21 anos, 42,1% nos indivíduos entre 21-40 anos, 49,8% nos indivíduos entre 41-60 anos e 44,7% nos indivíduos com mais de 60 anos. CONCLUSÃO: Refluxo cecoileal foi achado relativamente freqüente em nosso material, correspondendo os graus moderado e severo a 25% do material examinado. Aparentemente, não há associação entre seu surgimento e sexo ou idade. A etiopatogenia e conseqüências do refluxo cecoileal são ainda pouco conhecidas. Alguns estudos sugerem que o comprometimento de componentes da junção ileocecal, como os ligamentos, pode favorecer seu aparecimento. Entre as conseqüências prováveis, incluem-se a contaminação e alteração motora ileais, resultantes do material refluído do ceco.
OBJECTIVE: Retrospectively determining the coloileal reflux prevalence at the barium enema examination, characterizing its distribution by sex and age range and classifying it according to the intensity degree. MATERIALS and METHODS: 715 barium enemas were reviewed, being 268 of male patients and 447 of female patients, with average age of 54 years. RESULTS: of the 715 enemas performed, 46.5% showed coloileal reflux, classified as mild (45%), moderate (37.5%) and severe (17.5%). Coloileal reflux was present in 48.3% of female and in 43.6% of male patients. The coloileal reflux distribution by age range was 46.1% in individuals less than 21 years, 42.1% in individuals between 21-40, 49.8% in individuals between 41-60 and 44.7% in people more than 60 years old. CONCLUSION: Coloileal reflux was a common finding, with 25% of them being classified as moderate or severe. Apparently, there is not a clear relationship between its occurrence and gender or age. The etiopathogenesis and consequences of the coloileal reflux remain still poorly known. Some studies suggest that the compromising of ileocecal junction components, like ligaments, could favor the coloileal reflux occurrence. Among the probable consequences, we could mention contamination and ileal motility disorders resulting from the material refluxed from cecum into the ileum.

Descrição

Palavras-chave

Refluxo cecoileal, Válvula ileocecal, Junção ileocecal, Síndrome do supercrescimento bacteriano do delgado, Refluxo cecoileal no enema opaco, Coloileal reflux, Ileocecal valve, Ileocecal junction, Small bowel bacterial overgrowth syndrome, Coloileal reflux at the barium enema

Como citar

Radiologia Brasileira. Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, v. 39, n. 2, p. 107-111, 2006.