A Vale em Moçambique: uma etnografia das relações entre brasileiros e moçambicanos no cotidiano dos megaprojetos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-07-02

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

This dissertation consists of an ethnographic focusing the relationship between Brazilian and Mozambican people in a context of the megaprojects developed by the mining company Vale in Mozambique, specifically The Moatize Coal Mine Project and The Nacala Corridor Project developed in Tete, Niassa and Nampula provinces, in the central and northern regions of the country. The research analysed the subjective impacts of the contact between the two groups of people within a delimited context, deepening the understanding of their practices and quotidian representations, using as analysis tools the debates about development, domination, racism and colonisation. Based on fieldwork and bibliographical research, the study aimed to understand the role of Brazil on Mozambican development project, analysing the relation of international cooperation between the two countries and observing the way the mentioned relationship can be effectuated under domination of neocolonialism in multiple aspects, especially what concerns private Brazilian projects developed in Mozambique. It was also observed the construction of racial ideologies in both countries, the way that Brazilian racism is practiced in Mozambique and the intrinsic connection between racism, the civilising project and colonialism in the scope of the already pointed relationships based in domination. The purpose being to analyse such relationships as complex processes, deconstructing the dichotomy dominated/dominator, giving priority to an intersectional approach to social differences borders; the research intends to problematize the analysed relations and, hence, contribute to overcome the identified questions, not only at a project level, but in a broader realm of relations between Brazil and Mozambique, and the PALOP in general
Esta dissertação consiste em uma etnografia das relações entre brasileiros e moçambicanos no contexto dos megaprojetos desenvolvidos pela mineradora Vale em Moçambique, especificamente o projeto Carvão Moatize e o projeto Corredor Nacala, desenvolvidos nas províncias de Tete, Niassa e Nampula, regiões centro e norte do país. Foram investigados e analisados os impactos subjetivos do contato entre os dois grupos no contexto delimitado, aprofundando a compreensão de suas práticas e representações cotidianas, tendo como eixos de análise os debates sobre noções de desenvolvimento, dominação, racismo e colonialismo. A partir das incursões a campo e da pesquisa bibliográfica, procurou-se compreender o papel do Brasil no projeto de desenvolvimento moçambicano, analisando as relações de cooperação internacional entre os dois países e observando a maneira como tais relações podem se efetivar sob a forma de dominação de tipo (neo)colonial em diversos aspectos, especialmente no que concerne aos projetos brasileiros de caráter privado desenvolvidos em Moçambique. Observou-se ainda a construção das ideologias raciais nos dois países, a maneira como o racismo brasileiro se exerce em Moçambique, e a relação intrínseca entre racismo, projeto civilizador e colonialismo no âmbito das relações de dominação colocadas. Procurando analisar tais relações como processos complexos, desconstruindo a dicotomia dominado/dominador, e primando por uma abordagem interseccional de articulação dos marcadores da diferença, pretende-se com os resultados da pesquisa problematizar as relações analisadas e, com isso, contribuir para superar as questões identificadas, não só na esfera dos projetos em questão, mas no âmbito mais amplo das relações entre Brasil e Moçambique e com os PALOP de maneira geral

Descrição

Palavras-chave

Etnologia, Racismo, Colonias, Moçambique, Ethnology

Como citar

RODRIGUES, Yssyssay D. A Vale em Moçambique: uma etnografia das relações entre brasileiros e moçambicanos no cotidiano dos megaprojetos. 2015. 209 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2015.