Reproduction of Meloidogyne enterolobii in rootstocks and cucumber hybrids

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013-12-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Associação Brasileira de Horticultura

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

This study aimed to determine the resistance of six rootstocks for cucumber (squash 'Menina Brasileira', pumpkin 'Exposição', 'Shelper', 'Tetsukabuto Takaiama', 'B8-A Tetsukabuto' and 'Excite Ikki') and four Japanese cucumber hybrids ('Yoshinari', 'Kouki', 'Taisho' and 'Tsuyataro') to Meloidogyne enterolobii. The experiment was conducted in greenhouse; each plot consisted of one plant per pot containing 2 liters of autoclaved soil. The experimental design was completely randomized, with five replicates per treatment. Two days after transplanting the seedlings, each plant was inoculated with 5,000 eggs and second-stage juveniles (initial population = Pi) of M. enterolobii. Tomato 'Rutgers' was used as indicative of inoculum viability. Sixty days after inoculated, each plant was evaluated for total number of nematodes in the roots (final population = Pf) and reproduction factor (FR=Pf/Pi). All rootstocks and cucumber hybrids allowed M. enterolobii multiplication, but FR values were lower in 'Shelper', 'Excite Ikki KY' and 'Menina Brasileira' rootstocks. In a second experiment, the low FR in these three rootstocks was confirmed, but with higher values in 'Menina Brasileira'. So, these rootstocks can be recommended to M. enterolobii infested areas, but with low populations, because they don't permit great multiplication of the patogen. It is concluded that 'Shelper' and 'Excite Ikki KY' rootstocks had the lowest FR and can be classified as moderate resistant to this nematode.

Resumo (português)

Este estudo teve como objetivo determinar a resistência de seis porta-enxertos para pepino (abóbora 'Menina Brasileira', moranga 'Exposição', 'Shelper', 'Tetsukabuto Takaiama', 'B8-A Tetsukabuto' e 'Excite Ikki') e quatro híbridos de pepino tipo japonês ('Yoshinari', 'Kouki', 'Taisho' e 'Tsuyataro') a Meloidogyne enterolobii. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, cada parcela constou de uma planta por vaso contendo 2 litros de solo autoclavado. Dois dias após o transplantio das mudas, cada planta foi inoculada com 5.000 ovos e juvenis de segundo estádio (população inicial = Pi) de M. enterolobii. Tomateiros 'Rutgers' foram utilizados como padrão de viabilidade do inóculo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com cinco repetições por tratamento. Sessenta dias após a inoculação, cada planta foi avaliada quanto ao número total de nematoides nas raízes (população final = Pf) e fator de reprodução (FR = Pf / Pi). Todos os porta-enxertos e híbridos de pepino estudados permitiram a multiplicação de M. enterolobii, entretanto os valores do FR foram menores nos porta-enxertos 'Shelper', 'Excite Ikki KY' e 'Menina Brasileira'. Em um segundo experimento, confirmou-se o baixo valor do FR destes três porta-enxertos, porém, com valor pouco maior para 'Menina Brasileira'. Desta maneira, estes porta-enxertos podem ser recomendados em áreas infestadas com M. enterolobii, desde que em baixa população, por restringirem drasticamente a multiplicação do patógeno. Conclui-se que os porta-enxertos 'Shelper' e 'Excite Ikki KY' foram os que apresentaram os menores FR podendo ser classificados como moderadamente resistentes a este nematoide.

Descrição

Idioma

Inglês

Como citar

Horticultura Brasileira. Associação Brasileira de Horticultura, v. 31, n. 4, p. 618-621, 2013.

Itens relacionados