Estudo da ação de nanopartículas magnéticas de ferro no câncer oral

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2013-02-21

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O carcinoma oral epidermóide é a neoplasia mais frequente da cavidade bucal, representando, aproximadamente, 90% dos cânceres orais. A maioria das pessoas com câncer bucal realiza diagnóstico em estádios avançados quando o prognóstico é ruim e, consequentemente, a terapia é incerta com possibilidades de cura reduzidas. Sendo assim, o tratamento deste câncer envolve a utilização de recursos terapêuticos complexos, com resultados estéticos e fisiológicos pouco promissores. Portanto, outras terapias são almejadas a fim de reverter o quadro insatisfatório de qualidade de vida, amenizando os efeitos colaterais. Para isso, a nanoterapia aplicada ao tratamento do câncer tem-se desenvolvido rapidamente e nanopartículas, como as de óxidos de ferro, vem demonstrando vantagens sobre outros carreadores, sendo o tratamento do câncer por meio de hipertermia uma aplicação bastante visada. Portanto, o objetivo do trabalho foi investigar a citotoxicidade das nanopartículas magnéticas de ferro revestidas por polifosfato em linhagem celular de câncer de assoalho de boca (UM-SCC14A) e sua ação em carcinoma oral in vivo. As células foram incubadas com nanopartículas em diferentes concentrações (0,35; 0,7 e 1,4x10 15 partículas/mL) e, em seguida, foram realizadas técnicas de microscopia eletrônica de transmissão, microsopia de luz, microscopia de fluorescência e ensaio de viabilidade celular. Os diferentes ensaios mostraram que apenas a incubação com 1,4 x10 15 partículas desencadeou processo apoptótico significativo, refletindo alterações morfológicas e menor viabilidade celular. Sendo assim, a concentração de 0,7x10 15 partículas foi escolhida para os experimentos in vivo, já que não demonstrou caráter tóxico expressivo. Após os experimentos in vitro, trinta hamsters sírios foram divididos igualmente em cinco...
Oral squamous cell carcinoma is the most common neoplasm of the oral cavity, representing, approximately, 90% of oral cancers. Most people affected by oral cancer performs the diagnosis in advanced stages when the prognosis is poor and, therefore, therapy is uncertain with reduced chances of healing. Thus, treatment of this cancer involves the use of complex therapeutic resources, with hardly promising aesthetic and physiological results. Therefore, other therapies are desired to reverse the unsatisfactory quality of life, minimizing side effects. For this, nanotherapy applied to the treatment of cancer has developed rapidly and nanoparticles, such as iron oxides, have shown advantages over other carriers, being cancer treatment by hyperthermia quite an application newsworthy. So, the aim of this study was to investigate the cytotoxicity of iron magnetic nanoparticles coated with polyphosphate in cancer cell line from the floor of mouth (UM-SCC14A) and its action on oral carcinoma in vivo. Cells were incubated with nanoparticles at different concentrations (0.35, 0.7 and 1.4x10 15 particles/mL) and, then, were performed transmission electron microscopy, light microscopy, fluorescence microscopy and viability assay. Different tests have shown that only incubation with 1.4x10 15 particles triggered significative apoptotic process reflecting morphological changes and reduced cell viability. Thereby, the concentration of 0.7x10 15 particles has been chosen for the experiments in vivo, as demonstrated no expressive toxic character. After the in vitro experiments, thirty Syrian hamsters were divided into five groups, with a normal control group in which no tumor was induced. In the remaining animals was induced oral cancer by applying the carcinogen DMBA on the hamsters’ right cheek, resulting in the development of oral squamous cell carcinoma... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Palavras-chave

Câncer, Boca - Cancer, Carcinoma de celulas escamosas, Hamster como animal de laboratorio, Nanopartículas, Ferromagnetismo

Como citar

CANDIDO, Natalia Maria. Estudo da ação de nanopartículas magnéticas de ferro no câncer oral. 2013. 112 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, 2013.