Avaliação da produção e concentração viral em pimentão infectado por tospovírus com o uso de piraclostrobina + metiram

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-04-01

Orientador

Krause-Sakate, Renate
Rezende, Jorge Alberto Marques

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

The cultivars of pepper (Capsicum annuum L.) are usually susceptible to virus infection, especially by the species of the genus Potyvirus, Begomovirus, Cucumovirus, Tobamovirus and Tospovirus in Brazil. GRSV (Groundnut ring spot virus) and TCSV (Tomato chlorotic spot virus) are the main tospovirus species in São Paulo state. Due to the large host circle of tospovirus and inefficient chemical vector control (thrips) in the virus transmission, the integrated management of the disease is essential. Thus, the aim of this study was to evaluate the use of chemical defensive Pyraclostrobin + Metiram (P + M) as an alternative form of control of tospoviruses GRSV and TCSV in the pepper hybrid Dahra RX, assessing the quantitative and qualitative production of the plant and the product's influence on the concentration of viral particles of GRSV. Three experiments were carried out in parallel, two in the field, one which received pre-treatment by applying P + M (4 g. L -1) on the tray. In the greenhouse experiment, the pre-treatment consisted by application of P + M (4 g. L -1) in the transplanting of 50% of the plants (total 120 plants). The treatments consisted of inoculation of the virus naturally in the field and sap transmission in greenhouse at 0, 15, 30, 45 days after transplanting (DAT) with application or not of P + M (4.0 g. L -1) during cultivation. Infection by GRSV / TCSV virus was confirmed by PTA-ELISA and virus concentration was evaluated by qPCR for plants in greenhouse. In the greenhouse experiment was obtained 98% of infected plants sap transmitted, while 25% of the plants in the field were naturally infected by GRSV or TCSV, but with predominance of GRSV. Infection of plants of this hybrid by GRSV and TCSV until 45 days after transplantation caused considerable damage in the quality and quantity of fruits produced. The use of the product during the cultivation of the hybrid did not affect the production parameters. Under greenhouse conditions, the seedlings treated at transplanting with P + M had lower total production, indicating that the model adopted for the application of the product was not efficient. The viral concentration of GRSV at 70 DAT was not altered by the use of the product, indicating little effect of suppression of the virus and disease.

Resumo (português)

As cultivares de pimentão (Capsicum annuum L.) são geralmente suscetíveis à infecção por vírus, destacando-se no Brasil espécies dos genêros Potyvirus, Begomovirus, Cucumovirus, Tobamovirus e Tospovirus, sendo que deste último gênero predominam as espécies GRSV (Groundnut ring spot virus) e TCSV (Tomato chlorotic spot virus) no Estado de São Paulo. Devido ao amplo número de hospedeiros infectados pelos tospovírus e a ineficiência do controle químico na transmissão do vírus pelo vetor (tripes), é imprescindível o manejo integrado da doença. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar o uso do defensivo químico piraclostrobina + metiram (P +M) como forma alternativa de controle dos tospovírus GRSV e TCSV no híbrido de pimentão Dahra RX, avaliando-se a produção quantitativa e qualitativa da planta e a influência do produto sobre a quantidade relativa de partículas virais do GRSV. Três experimentos foram realizados paralelamente, sendo dois em campo, dos quais um recebeu pré-tratamento pela aplicação de P + M (4 g. l -1) na bandeja. No experimento em estufa, o pré-tratamento consistiu pela aplicação de P + M (4 g. l -1) no transplante em 50% das plantas (total de 120 plantas). Os tratamentos foram constituídos da inoculação do vírus de forma natural no campo e via extrato vegetal em estufa aos 0, 15, 30, 45 dias após o transplantio (DAT) com ou sem aplicação de P + M (4.0 g. l -1) durante o cultivo. A infecção pelos vírus GRSV/TCSV foi confirmada por PTA- ELISA e a concentração viral via qPCR foi avaliada para as plantas cultivadas em estufa. No experimento realizado em estufa obteve-se 98% das plantas infectadas quando inoculadas via extrato vegetal, enquanto 25% das plantas no campo foram infectadas naturalmente por GRSV ou TCSV, porém com predominância do GRSV. A infecção de plantas deste híbrido pelas espécies GRSV e TCSV até os 45 dias após o transplante causaram prejuízos significativos na qualidade e quantidade de frutos produzidos. O uso do produto durante o cultivo deste híbrido não alterou os parâmetros de produção das plantas. Em condições de estufa, as mudas tratadas no transplantio com P + M apresentaram menor produção total, indicando que o modelo adotado de aplicação do produto não foi eficiente. A concentração viral do GRSV, aos 70 DAT não foi alterada com a utilização do produto, indicando pouco efeito deste na supressão do vírus e da doença.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados