Influência do suco de laranja Pera (Citrus sinensis) e do suco de laranja Moro [Citrus sinensis (L.) Osbeck] na matriz extracelular miocárdica

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-12-19

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: A matriz extracelular (MEC) além de fornecer suporte estrutural e parti-cipa de maneira ativa da homeostase do tecido cardíaco, regulando diversos pro-cessos fisiológicos e também patológicos. Desse modo, intervenções que afetem a composição e dinâmica da MEC se constituem importante alvo terapêutico. O suco de laranja Pera possui atividade anti-inflamatória, inclusive em indivíduos saudáveis. O suco de laranja Moro possui maior quantidade de compostos anti-inflamatórios e antioxidantes que a laranja Pera. Estudos experimentais observaram diminuição da atividade e da expressão metaloproteinases de matriz com a administração de componentes do suco de laranja de forma isolada, porém a administração do suco integral ainda não foi estudada. Objetivo: Avaliar a influência da ingestão de suco de laranja Pera na matriz extracelular miocárdica e comparar com os efeitos do suco da laranja Moro em corações saudáveis. Material e Métodos: foram utilizados 60 ratos Wistar machos alocados em 3 grupos: C, LP, LM. O grupo C recebeu água com maltodextrina, o grupo LP recebeu suco de laranja Pera e o grupo LM recebeu suco de laranja Moro,a vontade, por 4 semanas. Após 4 semanas de suplementação, os animais foram submetidos ao ecocardiograma e eutanásia para coleta de material biológico. Resultados: Não observamos diferenças na estrutura e função cardíaca ao ecocardiograma.Também não foi observada diferença entre os grupos na avaliação do percentual de colágeno tecidual (C: 2,33±0,66; LP: 2,53±0,58; LM: 2,50±0,64%; p=0,744) e na expressão das proteínas Colágeno I (C:1,022±0,199; LM: 1,026±0,167; LP: 1,026±0,229; p=0,999), TIMP-2 (C: 1,079±0,372; LP: 0,902± 0,325; LM: 1,223±0,548; p=0,297), TIMP-4 [C: 1,000 (0,839-1,115); LP: 1,016 (0,823-1,229); LM: 1,081 (1,007-1,179); p=0,588], MMP-9 [C: 1,004 (0,883-1,246); LP: 1,119 (0,859-1,472); LM: 1,098 (0,821-1,450); p=0,647] e TNF-alfa [C: 0,708 (0,569-0,857); LP: 0,933 (0,564-95,633); LM: 0,828 (0,422-1,092) p=0,297] pela técnica de Western Blot. Não foi observado diferença entre os grupos na avaliação de atividade da MMP-2 por zimografia. A análise de metabolômica identificou alterações na intensidade de sinal para diferentes metabólitos no grupo LP e LM em comparação ao grupo C. Conclusão: A ingestão de suco de laranja Pera e do suco de laranja Moro não causaram alterações prejudiciais na matriz extracelular miocárdica em corações saudáveis e induziram alterações nos metabólitos presentes no soro desses animais.
Introduction: Beyond to providing structural support, the extracellular matrix (ECM) actively participates in cardiac tissue homeostasis, regulating several physiological and pathological processes. Thus, interventions that affect the composition and dynamics of ECM constitute an important therapeutic target. Pera orange juice has antiinflammatory activity, even in healthy individuals. Moro orange juice has more antiinflammatory and antioxidant compounds than Pera orange. Experimental studies have observed decreased activity and expression of matrix metalloproteinases after administration of orange juice components alone, but the administration of whole juice has not been studied. Objective: To evaluate the influence of Pera orange juice intake on the myocardial extracellular matrix and to compare with the effects of Moro orange juice on healthy hearts. Material and Methods: 60 male Wistar rats were allocated in 3 groups: C, LP, LM. Group C received water with maltodextrin, group LP received orange juice Pera and group LM received orange juice Moro, all with free access, for 4 weeks. Afterwards, the animals underwent echocardiography and euthanasia to collect biological material. Results: No differences in cardiac structure and function were observed on echocardiography. Also, there was no difference between the groups in the evaluation of the percentage of tissue collagen (C: 2,33±0,66; LP: 2,53±0,58; LM: 2,50±0,64%; p=0,744) and expression of Collagen I proteins (C:1,022±0,199; LM: 1,026±0,167; LP: 1,026±0,229; p= 0,999), TIMP-2 (C: 1,079±0,372; LP: 0,902± 0,325; LM: 1,223±0,548; p= 0,297), TIMP-4 [C: 1,000 (0,839-1,115); LP: 1,016 (0,823-1,229); LM: 1,081 (1,007-1,179); p=0,588], MMP-9 [C: 1,004 (0,883-1,246); LP: 1,119 (0,859-1,472); LM: 1,098 (0,821-1,450); p= 0,647] and TNF-alfa [C: 0,708 (0,569-0,857); LP: 0,933 (0,564-95,633); LM: 0,828 (0,422- 1,092) p= 0,297] by Western Blot. No difference between groups was observed in the assessment of MMP-9 activity by zymography. Metabolomics analysis identified differential markers in the LP and LM groups compared to group C. Conclusion: Ingestion of Pera orange juice and Moro orange juice did not cause harmful changes in myocardial extracellular matrix in healthy hearts and induced changes in the metabolites present in the serum of these animals.

Descrição

Palavras-chave

Matriz extracelular, Citrus Sinensis, Citrus sinensis (L.) Osbeck, Metaloproteinases de matriz, TIMP, Metabolômica, Extracellular matrix, Matrix metalloproteinases, Metabolomics

Como citar