Reações cutâneas provocadas por imunomoduladores injetáveis associadas ao tratamento de esclerose múltipla

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-03-26

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Esclerose Múltipla é uma doença crônica, que provoca inflamação e degeneração do sistema nervoso central. É uma considerável causa de incapacidade em adultos jovens. Os tratamentos de escolha são com imunomoduladores injetáveis, objetivando retardar a progressão da doença e minimizar os surtos de atividade inflamatória. Entretanto estes imunomoduladores provocam uma série de eventos adversos, sendo um dos mais frequentes a reação cutânea no local da aplicação. Objetivo: Identificar e analisar a ocorrência de reações cutâneas aos imunomoduladores injetáveis nos pacientes portadores de esclerose múltipla e propor um guia técnico sobre os cuidados necessários para auto-aplicação de imunomoduladores injetáveis utilizadas no seu tratamento. Método: Trata-se de um estudo prospectivo, observacional, transversal de abordagem quantitativa. A coleta foi realizada no período de janeiro a setembro de 2015, por meio de um instrumento estruturado aplicado aos participantes da pesquisa, que são os pacientes portadores de esclerose múltipla em tratamento no ambulatório de neuroimunologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu, a coleta de dados foi realizada após parecer favorável do comitê de ética e pesquisa. Resultados: Foram avaliados 116 portadores de esclerose múltipla, a maioria do sexo feminino (72%), cor branca (98%), com idade média de 39,8 anos, forma clínica predominante do tipo remitente recorrente (70,6%). A reação cutânea local prévia aos imunomoduladores injetáveis ocorreu em 87%, sendo que 23% apresentaram reação recente. As principais reações locais foram hiperemia (74%), endurecimento da pele (59%), equimose (51%), edema (46%) e calor (43%). A maior parte das reações foram consideradas moderadas a graves. O acetato de glatirâmer foi o imunomodulador mais envolvido com as reações cutâneas. Produto: Elaborado um guia técnico em formato virtual (e-Book), com orientações básicas para pacientes, familiares e profissionais de saúde sobre os cuidados necessários para auto-aplicação de terapias injetáveis utilizadas no tratamento de esclerose múltipla. Conclusões: A maioria dos pacientes apresentaram reações cutâneas no local de aplicação. Os efeitos adversos cutâneos podem comprometer a adesão ao tratamento e afetar a qualidade de vida dos pacientes. Portanto, é importante a avaliação diagnóstica precoce e cuidado para evitar tais eventos. A maioria dos artigos analisados neste estudo descrevem reações cutâneas mais graves e poucos discutem sobre ocorrência de reação cutânea com curta duração. Pesquisas futuras devem ter como principal objetivo avaliar os determinantes das reações adversas nos tratamentos em longo prazo, sendo necessário investigar a relação entre o número de aplicações, doses, localização anatômica e obesidade.
Multiple sclerosis is a chronic disease that causes inflammation and degeneration of the central nervous system. It is a significant cause of disability in young adults. The treatments of choice consist of injectable immunomodulators in order to slow down the progression of the disease and minimize the surges of inflammatory activity. However, these immunomodulators cause a number of adverse events, one of the most common is cutaneous reaction at the injection site. Objective: To identify and analyze the occurrence of cutaneous reactions to injectable immunomodulators in patients with multiple sclerosis and propose a technical guide for the necessary care in the self-administration of injectable immunomodulators used in the treatment. Method: This is a prospective, observational, cross-sectional quantitative stade. Data collection was conducted from January 2015 to September 2015, through a structured instrument applied to the research participants who are multiple sclerosis patients undergoing treatment at the Neuro-immunology Clinic of the Botucatu Medical School. Results: We evaluated 116 patients with multiple sclerosis, the majority was female (72%), white (98%), mean age 39.8 years and the predominant clinical form was recurring remitting type (70.6%). Previous skin reaction to injectable immunomodulators occurred in 87%, of which 23 % were recent reactions. The main local reactions were hyperemia (74%), skin hardening (59%), bruising (51%), edema (46%) and heat (43%). Most of the reactions were considered mild to severe. Glatirâmer acetate was the most involved immunomodulatory in the skin reactions. Product: A technical guide was prepared in virtual format (e-Book ) with basic guidelines for patients, their families and health professionals on the needed care in self-administration of injectable therapies used in the multiple sclerosis treatment. Conclusions: Most patients had skin reactions at the application site. Cutaneous adverse effects may compromise treatment adherence and affect the quality of life of the patients. Therefore, an early diagnostic evaluation and care are fundamental to avoid such events.

Descrição

Palavras-chave

Esclerose múltipla, Reação cutânea, Imunomoduladores, Multiple sclerosis, Skin reaction, Immunomodulators

Como citar