Resistência de pimentas a nematóides de galha e compatibilidade enxerto/porta-enxerto entre híbridos de pimentão e pimentas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2009-12-01

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Associação Brasileira de Horticultura

Resumo

Avaliou-se a resistência à Meloidogyne incognita e a compatibilidade de enxertia de treze porta-enxertos de pimenta (nove Capsicum chinense; três C. annuum e um C. frutescens) quando enxertados com os híbridos de pimentão-vermelho Rubia R, Margarita e Maximos. O experimento foi conduzido em 2005 na UNESP-FCAV em Jaboticabal-SP. As plantas foram enxertadas por garfagem do tipo fenda simples e, 25 dias após foram avaliadas quanto à percentagem de pegamento e, posteriormente, juntamente com plantas sem enxertia, foram transplantadas em casa de vegetação e inoculadas, individualmente, com 5.000 ovos e juvenis de segundo estádio de M. incognita. A avaliação da resistência dos porta-enxertos ao nematóide foi feita aos 181 dias após a inoculação, com base no fator de reprodução; a avaliação da compatibilidade enxerto/porta-enxerto foi realizada levando em consideração a produtividade e a qualidade dos frutos obtidas em sete colheitas, realizadas entre 113 e 181 dias após o transplante das mudas. Aos 25 dias após a enxertia, para todos os tratamentos, em média, 99,69% das plantas enxertadas apresentavam-se com pegamento. Os porta-enxertos C. annuum e C. frutescens, ao final do ciclo de cultivo, foram resistentes à M. incognita e proporcionaram nas plantas enxertadas, respectivamente, as maiores e menores produtividades e qualidades de frutos, sendo designados de compatíveis e incompatível para enxertia com os híbridos de pimentão-vermelho Rubia R, Margarita e Maximos. 'Maximos' e 'Margarita' quando enxertados apresentaram melhor produtividade e qualidade de frutos do que 'Rubia R'; quando sem enxertia não diferiram em produtividade, havendo destaque para 'Margarita' quanto à qualidade dos frutos.
The resistance to Meloidogyne incognita and propagation compatibility of thirteen pepper rootstocks (nine Capsicum chinense; three C. annuum and one C. frutescens) were evaluated under Rubia R, Margarita and Maximos red pepper hybrids grafting. The experiment was carried out in 2005, in Jaboticabal, São Paulo State. Plants were cleft and notch grafted and, 25 days later, the pant surviving was evaluated. Later, the grafted plants and plants without stump were transplanted to a greenhouse and inoculated, individually, with 5,000 eggs and infants in the second phase of M. incognita. The rootstock resistance to nematodes was evaluated at 181 days after inoculation, based on the reproduction factor. The stump/rootstocks compatibility was evaluated considering yield and quality of fruits obtained through seven harvests, 113 to 181 days after seedling transplant. An average of 99,69% of surviving plants was obtained, 25 days after grafting date. The C. annuum and C. frutescens rootstocks were resistant to M. incognita at the end of the vegetative cycle and they provided to grafted plants the higher and lower fruit production and quality respectively, being called compatible and non compatible to stump with Rubia R, Margarita, and Maximos red pepper hybrids. 'Maximos' and 'Margarita', when grafted, presented better productivity and fruit quality, than 'Rubia R'; when non-grafted the productivity did not differ among them, prominence having for 'Margarita' about fruit quality.

Descrição

Palavras-chave

Capsicum spp., Meloidogyne spp, Grafting, Greenhouse, Capsicum spp., Meloidogyne spp., Enxertia, Cultivo protegido

Como citar

Horticultura Brasileira. Associação Brasileira de Horticultura, v. 27, n. 4, p. 520-526, 2009.