Ensino Médio no papel: educação, juventudes e políticas educacionais

Imagem de Miniatura

Data

2018-03-09

Autores

Silva, Geise Mara Souza da [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Esta pesquisa foi desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia, UNESP – Campus de Presidente Prudente, vinculada à Linha de Pesquisa: Processos formativos, Infância e Juventude. Teve como objetivo central, identificar e analisar a concepção de juventude apresentada nos documentos oficiais e vigentes do Ensino Médio. Esse objetivo surgiu a partir do pressuposto de que o Ensino Médio vive uma crise de legitimidade e os jovens dentro desse contexto são negligenciados no cotidiano escolar. Desse modo, eles não reconhecem a escola como espaço promotor de sentido em seu presente. Com isso, sentimos a necessidade de buscar nas normatizações, qual a visão que tais documentos possuem acerca desses sujeitos, haja vista a importância e o reflexo que as políticas educacionais exercem sobre o cotidiano escolar. Para tanto, realizamos as análises a partir das atuais Diretrizes Curriculares do Ensino Médio, do Plano Nacional de Educação (2014-2024) e da atual Reforma do Ensino Médio. Sendo assim, foram elencados os seguintes objetivos específicos: analisar na produção do conhecimento dos autores que estudam o campo da juventude, com ênfase na Sociologia da Juventude, sua concepção sobre os jovens; investigar a concepção de educação bancária e educação problematizadora; compreender como a escola, sua cultura e o Ensino Médio foram edificados e, por fim; compreender as relações entre os jovens alunos do Ensino Médio e os profissionais da educação que atuam neste nível de ensino. A metodologia utilizada foi de abordagem qualitativa, utilizando-se de dois procedimentos metodológicos. O primeiro procedimento foi a pesquisa bibliográfica que permitiu aprofundar os conhecimentos em relação ao referencial teórico adotado. E o segundo foi a pesquisa documental, utilizada para atingir o objetivo central dessa pesquisa. Dessa maneira, realizamos leituras acerca da concepção de educação pautada em Paulo Freire, e, ainda, nos fundamentamos em autores que estudam o campo da juventude, que se distanciam da visão senso comum que concebe o jovem como um devir. Nessa perspectiva crítica acerca dos jovens, eles são considerados como sujeitos plurais e protagonistas de sua aprendizagem. Assim sendo, percebemos que tanto para Paulo Freire como para os autores que estudam a juventude é necessário que o ensino tenha sentido na vida do aluno e isso só se concretiza quando suas vivências são utilizadas como ponto de partida para uma educação emancipadora, que é realizada por meio de um diálogo horizontal entre os sujeitos escolares. Como resultado das investigações dos documentos, somente as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio deixam patente sua concepção de juventude, reconhecendo os jovens que frequentam o Ensino Médio como sujeitos singulares e protagonistas de sua aprendizagem, o que comunga com o referencial epistemológico adotado por essa pesquisa. Em contrapartida, os documentos do Plano Nacional de Educação e da atual Reforma do Ensino Médio não deixam explícitas sua concepção de juventude. Nesses dois documentos as ações que os orientam concebem os jovens sob uma perspectiva funcionalista e como um devir, como alguém que se prepara para o futuro, sendo assim, os interesses juvenis são desconsiderados no presente escolar. No que concerne a Reforma do Ensino Médio há um agravante acerca das propagandas oficiais do MEC que preconizam algo diferente do que está posto em Lei. Nesse contexto, é interessante destacar o avanço que as Diretrizes alcançaram em termos de políticas educacionais em sua concepção acerca dos jovens. Todavia, é necessário refletir que o documento por si só não altera a realidade, sendo necessárias ações efetivas que estruturem as mudanças para que os profissionais da educação modifiquem sua visão acerca dos jovens, bem como atuem em uma perspectiva problematizadora de educação.
This research was developed within the Graduate Program in Education of the Faculty of Sciences and Technology, UNESP - Presidente Prudente Campus, linked to the Research Line: Formative Processes, Childhood and Youth. Its main objective was to identify and analyze the conception of youth presented in official and current Secondary Education documents. This objective arose from the assumption that the Secondary Education is experiencing a crisis of legitimacy and young people within this context are neglected in school daily. Thus, we feel the need to seek in normatizations, what the view these documents have about these subjects, in view of the importance and the reflection that educational policies exert on school daily. The analyzes were carried out based on the current Curricular Guidelines for Secondary Education, the National Education Plan (2014-2024) and the current Secondary Education Reform. In this way, the specific objectives of this research were: to analyze in the production of the knowledge of the authors who study the field of youth your conceptions about the young, with emphasis in the Sociology of Youth; investigate the conception of banking education and problematizing education; understand how the school, its culture and the Secondary Education were built and, finally; understand the relationships between young high school students and education professionals working at this level of education. The methodology used was a qualitative approach, with two methodological procedures. The first procedure was the bibliographical research that allowed to deepen the knowledge in relation to the theoretical reference adopted. And the second procedure was the documentary research, it was used to reach the central objective of this research. From this, we made readings about the conception of education based on Paulo Freire, with the intention of obtaining a vision that distances from the common sense that conceives the young like a becoming, we are also based on authors who study the field of youth, who consider young people as plural subjects and protagonists of their learning. Thus, we perceive that both for Paulo Freire and for the authors who study youth, it is necessary that teaching has meaning in the student's life and this fact only materializes when the students’ experiences are used as starting point for an emancipatory education that is realized through a horizontal dialogue between the school subjects. As a result of the investigations of the documents, only the National Curricular Guidelines of Secondary Education leave patent their conception of youth, recognizing the young people who attend the Secondary Education as singular subjects and protagonists of your learning, fact that shares with the epistemological frame of reference adopted by this research. In opposite, the documents of the National Education Plan and the current Reform of Secondary Education do not make explicit their conception of youth. In these two documents, the guiding actions conceive young people from a functionalist perspective and as a becoming, as someone who prepares for the future, and thus, youth interests are disregarded in the present school. In relation to the Secondary Education Reform there is an aggravation, the official advertisements of the MEC are showing ideas different from what is put in Law. In this context, it is interesting to highlight the progress that the Guidelines have achieved in terms of educational policies in their conception of young people. However, it is necessary to reflect that the document alone does not change the reality, and effective actions are needed that structure the changes so that the professionals of the education modify their vision about the young people and also act in a problematizing perspective of education.

Descrição

Palavras-chave

Ensino Médio, Culturas juvenis, Educação problematizadora, Políticas educacionais, Secondary Education, Youth cultures, Problematizing education, Educational policies

Como citar