Segurança das condições de aplicação de herbicidas com aerobarco em plantas daninhas aquáticas no lago da Hidrelétrica de Jupiá

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-06-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas

Tipo

Trabalho apresentado em evento

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Os objetivos deste trabalho foram quantificar as exposições dérmicas (EDs) e respiratórias (ERs) proporcionadas ao piloto e ao seu ajudante nas aplicações de herbicidas para o controle de plantas daninhas aquáticas com aerobarco; classificar essas condições de trabalho em seguras ou inseguras; e calcular a necessidade de controle das exposições (NCE) e o tempo de trabalho seguro (TTS). O aerobarco utilizado tinha casco de alumínio (4,85 x 2,42 m) e acionamento por hélice acoplada a motor a gasolina de 350 HP. O equipamento de pulverização era composto por bomba de diafragma com fluxo máximo de 49,69 L min-1, pressão máxima de 25 kg cm-2, acionada por motor a gasolina de 4 HP, e tanque de calda de 189 L. A barra de pulverização de alumínio era composta de duas seções laterais de 3 m, posicionadas na linha entre o encosto do banco do piloto e o início da estrutura protetora da hélice. Cada seção da barra tinha seis bicos com pontas de jato plano com indução de ar AI 100 03, espaçados de 0,5 m, e uma ponta OC 20 fixada em cada extremidade. O conjunto de pontas pulverizava faixas de 6 m de largura e aplicava o volume de calda de 200 L ha-1. O sistema tinha gerenciador de fluxo, controlado por central eletrônica acoplada a DGPS (com precisão submétrica), para corrigir automaticamente a vazão em função de alterações na velocidade real da embarcação. As EDs e ERs aos herbicidas foram calculadas com os dados substitutos das exposições às caldas, avaliadas com os traçadores cobre e manganês adicionados às caldas. As exposições foram extrapoladas para uma jornada de trabalho de seis horas. A segurança das condições de trabalho foi determinada com o cálculo da margem de segurança (MS), utilizando-se a fórmula MS = (NOEL x 70)/(QAE x 10), em que QAE = quantidade absorvível da exposição. As condições de trabalho foram classificadas em seguras, se MS>1, ou inseguras, se MS<1. As exposições proporcionadas pelas condições de trabalho foram de 10,65 mL de calda por dia para o piloto e de 16,80 mL por dia para o ajudante, que fica sentado em uma cadeira a 2,0 m à frente do piloto e da barra de pulverização. Classificaram-se como seguras as aplicações dos herbicidas glyphosate (Rodeo, 6 L ha-1), 2,4D (DMA 806 BR, 8 L ha-1) e fluridone (Sonar AQ, 0,4 L ha-1), para o piloto e o seu ajudante. Classificou-se como insegura a aplicação do herbicida diquat (Reward, 4,0 L ha-1) para as duas condições de trabalho, cujas necessidades de controle das exposições calculadas foram de 65% para o piloto e de 78% para o ajudante do piloto.

Resumo (inglês)

The objectives of the present study were to quantify the dermal exposure (DE) and respiratory exposures (RE) of the driver and driver's assistant of an airboat during herbicide application for aquatic weed management, to classify these working conditions as safe or unsafe, and to calculate the need for exposure control and the time of safe working. The airboat had an aluminum hull (4.85 x 2.42 m) with a propeller coupled to a 350 HP gasoline engine. The spraying equipment consisted of a diaphragm pump with a maximum flow rate of 49.69 L min-1 and a maximum pressure of 25 kg cm-2 driven by a 4 HP gasoline engine, a 189 L spraying tank, and an aluminum spray boom divided into two 3 m lateral sections positioned between the back of the driver's seat and the extremity of the protective structure of the propeller. Each boom section contained six AI 100 03 air induction flat spray nozzles spaced 0.5 m apart and an OC 20 nozzle fixed to each end of the boom. The set of nozzles was adjusted to cover a width of 6 m, and application volume of 200 L spray ha-1. An electronic flow control system coupled to a DGPS (with submetric precision) was used to automatically correct the flow rate as a function of alterations of the true speed of the boat. Herbicide exposure had been calculated with the substitute data of the exposures to sprays, evaluated with the tracers copper (DE) and manganese (RE) added to the sprays. Exposure was extrapolated to a work day of 6 hours. Working condition safety was determined by calculating the margin of safety (MOS) using the formula MOS = (NOEL x 70) / AEQ x 10, where AEQ= absorved exposure quantity. The working conditions exposed the driver to 10.65 mL spray day-1 and the driver's assistant, who sits on a chair 2.0 m in front of the driver and the spray boom, to 16.80 mL day-1. Application of glyphosate (Rodeo, 6 L ha-1), 2,4-D (DMA 806 BR, 8 L ha-1) and fluridone (Sonar AQ, 0.4 L ha-1) was classified as safe (MS > 1) for the driver and driver's assistant. The application of diquat (Reward, 4.0 L ha¹) was classified as unsafe (MS < 1) both for the two working conditions, with the calculated need for exposure control being 65% for the driver and 78% for the driver's assistant.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Planta Daninha. Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas , v. 24, n. 2, p. 399-405, 2006.

Itens relacionados

Financiadores