Controle descendente da meiofauna pelo caranguejo Uca burgersi

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-07-31

Autores

Fortuna, Monique D'Assunção [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A estrutura e funcionamento das comunidades naturais são regulados pela disponibilidade de recursos (controle ascendente) e predação (controle descendente). Os caranguejos do gênero Uca são comuns em áreas entremarés tropicais e subtropicais. Neste estudo avaliamos experimentalmente o controle descendente de caranguejos chama-maré (U. burgersi) sobre a meiofauna, em particular os Nematoda, e o microfitobentos. O estudo foi realizado em microcosmos com exclusão de Uca, e com densidades de 5 e 10 caranguejos. O perfil de ácidos graxos de amostras do sedimento, hepatopâncreas e fezes do caranguejo foram avaliados para identificação de marcadores tróficos. O gênero Microlaimus sp foi o mais abundante. A densidade de Nematoda, avaliada no sedimento superficial (0,5 cm) foi maior em áreas de exclusão, assim como a riqueza de gêneros de Nematoda também foram maiores nos sedimentos disponíveis para o forrageamento, quando comparado aos pellets de alimentação. Não houve alteração da densidade dos Nematoda no estrato subsuperficial (5 cm). As concentrações de clorofila a no sedimento não foram alteradas pela presença dos caranguejos, e a biomassa microfitobêntica nos pellets de alimentação não diferiu da encontrada no sedimento. Foram encontrados ácidos graxos marcadores de diatomáceas (14:0 e 16:0), carnivoria (18:1n9) e plantas vasculares (18:2n6) no sedimento, no hepatopâncreas e nas fezes de chama-maré. A maior percentagem de indicador 18:1n9 em associação às densidades elevadas dos Nematoda em sedimento no tratamento de exclusão confirmam a predação e o controle descendente de U. burgersi sobre a meiofauna. Não foi registrada preferência por gênero de Nematoda consumido por chama-maré

Descrição

Palavras-chave

Caranguejo - População, Nematoda, Predação (Biologia), Bentos, Acidos graxos, Indicadores (Biologia), Benthos

Como citar

FORTUNA, Monique D'Assunção. Controle descendente da meiofauna pelo caranguejo Uca burgersi. 2014. 27 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Biociências de Botucatu, 2014.