Show simple item record

dc.contributor.authorVerissimo, Danilo Saretta [UNESP]
dc.date.accessioned2015-08-21T17:53:17Z
dc.date.available2015-08-21T17:53:17Z
dc.date.issued2013
dc.identifierhttp://www.fafich.ufmg.br/memorandum/a24/
dc.identifier.citationMemorandum, v. 24, p. 100-121, 2013.
dc.identifier.issn1676-1669
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/126834
dc.description.abstractLacan’s conception of the mirror stage involves a rich network of theoretical dialogues. Amidst this network, an idea of subject is drawn. The aim of this paper is to examine that idea, not inside Lacan’s work, but in the theoretical framework related to the theme under analysis. We are interested in situating certain methodological and anthropological aspects of the mirror stage in relation to its mediating theories. Our observations are focused on three authors: Wallon, Sartre and Merleau-Ponty. As early as in 1931, the first underlined the importance of the child’s experience in front of the mirror to study his/her psychogenesis. The second is considered a representative of a Cogito philosophy and, therefore, seems to serve as a counter-reference for the psychoanalyst. The third established a relation of mutual dialogue with Lacan, reinforcing the heuristic nature of confrontations between psychoanalysis and phenomenology.en
dc.description.abstractA concepção lacaniana do estádio do espelho é perpassada por uma rica malha de diálogos teóricos. Em meio a esta rede se esboça uma ideia de sujeito. O presente trabalho é destinado ao exame dessa ideia, não no interior da obra de Lacan, e sim no âmbito do quadro de referências teóricas relacionado ao tema em apreço. Interessa-nos situar determinados aspectos metodológicos e antropológicos do estádio do espelho em relação a teorias que lhe servem de mediação. Nossos apontamentos voltam-se para três autores: Wallon, Sartre e Merleau-Ponty. O primeiro já em 1931 sublinhava a importância da experiência da criança diante do espelho para o estudo da psicogênese. O segundo é considerado como representante de uma filosofia do Cogito e, portanto, parece figurar como contra-referência para o psicanalista. O terceiro estabeleceu com Lacan uma relação de diálogo mútuo que reforça o caráter heurístico das confrontações entre a psicanálise e a fenomenologia.pt
dc.format.extent100-121
dc.language.isopor
dc.relation.ispartofMemorandum
dc.sourceCurrículo Lattes
dc.subjectConstitution of the subjecten
dc.subjectLacanen
dc.subjectWallonen
dc.subjectSartreen
dc.subjectMerleau-Pontyen
dc.subjectConstituição do sujeitopt
dc.subjectLacanpt
dc.subjectWallonpt
dc.subjectSartrept
dc.subjectMerleau-Pontypt
dc.titleLugar do imaginário do ver: diálogos a partir do espelho lacanianopt
dc.title.alternativePlace of the imaginary of seeing: dialogues based on Lacan’s mirroren
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Departamento de Psicologia Evolutiva Social e Escolar, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Assis, Av. Dom Antônio, 2100, Parque Universitário, CEP 19806900, SP, Brasil
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Departamento de Psicologia Evolutiva Social e Escolar, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Assis, Av. Dom Antônio, 2100, Parque Universitário, CEP 19806900, SP, Brasil
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Assispt
dc.identifier.fileISSN1676-1669-2013-24-100-121.pdf
dc.identifier.lattes9522367779985724
unesp.departmentPsicologia Evolutiva Social e Escolarpt
unesp.author.lattes9522367779985724
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record