Ingestão de flavonoides cítricos sobre a modulação da resposta inflamatória e nível de perda óssea promovida por periodontite induzida em camundongos saudáveis

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-03-30

Autores

Carvalho, Jhonatan de Souza

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar o efeito dos flavonoides cítricos eriocitrina e eriodictiol sobre a periodontite experimental induzida por injeção de LPS de E. coli em camundongos. Setenta camundongos BALB/c foram submetidos a diferentes tratamentos: dieta convencional, dieta enriquecida com eriocitrina, dieta enriquecida com eriodictiol, ambas nas concentrações de 25 e 50 mg/kg de peso corporal/dia e dieta enriquecida com naproxeno 10mg/kg de peso corporal/dia. Após 30 dias de suplementação os animais foram submetidos a indução de periodontite experimental por injeção bilateral de LPS de Escherichia coli 3x/semana por 4 semanas. Avaliou-se o peso corporal, consumo alimentar e energético ao longo de todo período experimental. No fim do período experimental os animais foram eutanasiados e coletados fígado e maxila para, realização de análise microscópica, quantificação de perda óssea por micro-Ct, análise microscópica e estereométrica dos maxilares, perfil de citocinas pró e anti-inflamatórias do tecido gengival por imunoensaio multiplex e avaliação da atividade de mieloperoxidase. In vitro foi avaliada a viabilidade celular por MTT em um período de 48 horas e avaliação da proliferação celular de cultura de fibroblastos L929 através do método de AlamarBlue® por 1, 3 e 7 dias. Ao longo do experimento os animais que consumiram ração enriquecida com flavonoides ou naproxeno apresentaram ganho de peso e consumo alimentar/energético semelhante aos grupos controles. Na análise microscópica do fígado não foram observadas alterações hepáticas. A análise microtomográfica demonstrou que a suplementação com flavonoides cítricos preveniu a perda óssea periodontal comparando-se ao grupo de animais submetidos apenas a injeção de LPS. Na análise estereométrica observou-se redução do infiltrado de células inflamatórias no tecido gengival adjacente ao primeiro molar superior dos animais que receberam dieta suplementada com eriocitrina, eriodictiol ou naproxeno. Observou-se que a suplementação alimentar com eriocitrina de 50mg/kg de peso corporal/dia e ambas concentrações de eriodictiol atenuaram a expressão de IL-1β. Eriocitrina 25 e 50mg/kg de peso corporal/dia e somente 50mg/kg de peso corporal/dia de eriodictiol reduziram a produção de TNF-α. Todos os tratamentos com exceção do eriodictiol 50mg/kg de peso corporal/dia e naproxeno aumentaram a expressão de IL-10 e a suplementação com eriocitrina e eriodictiol em todas as concentrações reduziram a atividade de MPO com clara atividade anti-inflamatória. Os resultados in vitro demonstraram que a eriocitrina e eriodictiol nas concentrações de 500 µM, 600 µM, 700µM e 1 µM, 10 µM e 50µM respectivamente, não apresentaram efeitos citotóxicos sobre fibroblastos, enquanto apenas a eriocitrina nas mesmas concentrações aumentou a atividade metabólica de fibroblastos L929 após 7 dias de tratamento. Os resultados permitem concluir que a proteção oferecida pelas flavanonas cítricas parece estar ligada à sua ação anti-inflamatória, como constatado neste estudo pela diminuição do infiltrado inflamatório, queda da expressão de citocinas pró-inflamatórias e aumento da produção de IL-10 protegendo os tecidos envolvidos pela modulação positiva da resposta inflamatória.
The aim of the study was to evaluate the effect of citrus flavonoids eriocitrin and eriodictyol on experimental periodontitis induced by injection of E. coli LPS in mice. Seventy BALB/c mice were submitted to different treatments: conventional diet, diet enriched with eriocitrin, diet enriched with eriodictyol, both at concentrations of 25 and 50 mg/kg per body weight / day and diet enriched with naproxen 10 mg/kg per body weight/day. After 30 days of supplementation, the animals were subjected to induction of experimental periodontitis by bilateral injection of LPS of Escherichia coli 3x/week for 4 weeks. Body weight, food and energy consumption were evaluated throughout the experimental period. At the end of the trial period the animals were euthanized and liver and maxilla were collected for microscopic analysis, quantification of bone loss by micro-Ct, microscopic and stereometric analysis of the jaws, pro and anti-inflammatory cytokine profile from the tissue gingival by multiplex immunoassay and evaluation of myeloperoxidase activity. In vitro cell viability was evaluated by MTT over a period of 48 hours and evaluation of cell proliferation of L929 fibroblast culture using the AlamarBlue® method for 1, 3 and 7 days. Throughout the experiment, animals that consumed food enriched with flavonoids or naproxen showed weight gain and food/energy consumption similar to the control groups. Microscopic analysis of the liver showed no hepatic changes. The microtomographic analysis showed that supplementation with citrus flavonoids prevented periodontal bone loss compared to the group of animals submitted only to LPS injection. In the stereometric analysis, there was a reduction in the infiltration of inflammatory cells in the gingival tissue adjacent to the upper first molar of the animals that received a diet supplemented with eriocitrin, eriodictyol or naproxen. It was observed that dietary supplementation with eriocitrin of 50mg/kg of body weight / day and both concentrations of eriodictyol attenuated the expression of IL-1β. Eriocitrin 25 and 50mg/kg per body weight/day and only 50mg/kg per body weight/day of eriodictyol reduced TNF-α production. All treatments except of eriodictyol 50m/kg per body weight/day and naproxen increased the expression of IL-10 and supplementation with eriocitrin and eriodictyol in all concentrations reduced the activity of MPO with clear anti-inflammatory activity. The in vitro results demonstrated that eriocitrin and eriodictyol at concentrations of 500 µM, 600 µM, 700 µM and 1 µM, 10 µM and 50 µM respectively, did not show cytotoxic effects on fibroblasts, while only eriocitrin at the same concentrations increased the fibroblast metabolic activity L929 after 7 days of treatment. The results allow us to conclude that the protection offered by the citrus flavanones seem to be linked to its anti-inflammatory action, as evidenced in this study by the reduction of the inflammatory infiltrate, a decrease in the expression of pro-inflammatory cytokines and an increase in IL-10 production protecting the tissues involved by the positive modulation of the inflammatory response.

Descrição

Palavras-chave

Flavonoides, Doenças periodontais, Agentes anti-inflamatórios, Flavonoids, Flavanones, Periodontal diseases, Anti-inflammatory agents

Como citar