Efeitos do microplástico PET na fisiologia de animais aquáticos bioturbadores: Um estudo no caranguejo chama-maré Leptuca thayeri

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-12-05

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os efeitos do microplástico na fisiologia de animais bioturbadores de manguezal ainda não são bem explicados. Esse trabalho teve como objetivo analisar o efeito da contaminação por microplástico no caranguejo semi-terrestre Leptuca thayeri, uma espécie estuarina e que habita a zona entre-marés, podendo estar sujeito a contaminação através do sedimento e do ciclo de marés. Também analisamos a capacidade dos organismos recuperarem a homeostase perdida após serem transferidos para um ambiente livre de microplástico. Diversos mecanismos fisiológicos como o metabolismo, a excreção de amônia, o tipo de substrato energético oxidado e a osmorregulação foram analisados após 10 dias de exposição dos animais a 40 mg/L de microplástico de politereftalato de etileno (PET). Os caranguejos foram mantidos nas salinidades onde podem ser encontrados em seu habitat (20, 25, 30, 35 e 40). A exposição ao microplástico causou alterações no metabolismo dos animais que aumentou cerca de 53% e 63% nas salinidades 20 e 25, respectivamente e diminuiu cerca de 50% nas salinidades 30, 35 e 40. A diminuição do consumo de oxigênio causou uma perda na capacidade osmorregulatória na salinidade 30, mas de forma geral os animais permaneceram hiper-reguladores nas salinidades 20 e 25, e hipo-reguladores nas salinidades 35 e 40. A excreção de amônia não foi alterada pela presença do microplástico. O tipo de substrato energético oxidado também sofreu alterações nas salinidades 25 e 30. Na salinidade 25, os animais deixaram de oxidar apenas proteínas e passaram a oxidar uma mistura de lipídios e proteínas, enquanto na salinidade 30 os animais começaram a oxidar apenas proteínas ao invés de proteínas e lipídios. Em um segundo experimento, os animais expostos ao microplástico foram transferidos para um ambiente controle (água filtrada sem a inclusão do microplástico) para verificarmos a capacidade dos animais de recuperar a homeostase perdida, apenas na salinidade 25, pois foi a salinidade onde os efeitos do microplásticos foram mais acentuados. Os animais são capazes de recuperar seu metabolismo, mas não conseguem recuperar as alterações causadas no seu tipo de substrato energético oxidado. Podemos concluir que a exposição ao microplástico do tipo PET pode causar alterações em mecanismos importantes para a biologia dos caranguejos chama-maré, pois afetam a obtenção de energia e a osmorregulação dos animais, que é um mecanismo extremamente importante para animais que vivem em regiões onde há variação de salinidade.
The effects of microplastics on the physiology of bioturbator mangrove organisms are not well understood. This work aimed to analyze the effect of microplastic contamination on the semi-terrestrial crab Leptuca thayeri, a estuarine species that inhabit the intertidal zone and thus might be subject to contamination through the sediment or the tidal cycle. We also analyzed the organism's capacity to recover its homeostasis after being transferred to an environment free of microplastic. Physiological mechanisms such as the metabolism, ammonia excretion, type of oxidized energetic substrate and osmoregulation were measured after a ten-day exposure to 40 mg/L of polyethylene terephthalate (PET) microplastic. The animals were kept in salinities where they can be found in their natural habitat (20, 25, 30, 35 and 40). The exposure to microplastic caused alterations in the metabolism, which had an increase of 53% and 63% in salinities 20 and 25, respectively, and decreased around 50% in salinities 30, 35 and 40. The decrease in oxygen consumption caused a loss of the osmoregulatory capacity at salinity 30, but in general animals remained hyper-regulators at salinites 20 and 25, and hypo-regulators at salinities 35 and 40. Ammonia excretion was not affected by microplastic exposure. The oxidized energetic substrate also suffered alterations at salinities 25 and 30. At salinity 25, animals stopped oxidizing only proteins and started oxidizing a mixture of proteins and lipids, while at salinity 30 they stopped oxidizing a mixture of proteins and lipids, and started oxidizing only proteins. In a second experiment, the animals exposed to microplastic were transferred to a control environment (with filtered water without microplastic inclusion) to verify the animals’ capacity to recover its lost homeostasis, but only at salinity 25, because microplastic effects were more pronounced at this salinity. The crabs are able to recover their metabolism, but can not recover the alterations caused in their type of oxidized energetic substrate. Therefore, we can conclude that the exposure to PET microplastic can cause alterations on important mechanisms for the organism’s biology, since they affect their energy gain and osmoregulation, which is an extremely important mechanism for animals that live in environments with salinity variations.

Descrição

Palavras-chave

Poluente, Crustáceos, Metabolismo, Fisiologia

Como citar

ARAÚJO, Matheus da Silva. Efeitos do microplástico PET na fisiologia de animais aquáticos bioturbadores: um estudo no caranguejo chama-maré Leptuca thayeri. Orientador: Alessandra da Silva Augusto. 2023. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Biológicas com habilitação em Biologia Marinha) – Instituto de Biociências do Campus do Litoral Paulista, Universidade Estadual Paulista, São Vicente, 2023.