Toxicological safety of the fruits ethanolic extract of Campomanesia guazumifolia: acute exposure and repeated doses in Wistar rats

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-09-16

Autores

Toledo, Laura Leonel de

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Os produtos naturais são cada vez mais utilizados em todo o mundo como uma forma alternativa de tratamento para muitas doenças e seu uso tem aumentado devido à crença de que tudo o que é “natural” não causa efeitos adversos à saúde. Porém, sabe-se que muitas plantas podem apresentar substâncias tóxicas e desencadear reações adversas. O fruto da Campomanesia guazumifolia pode ser consumido in natura ou para a fabricação de geleias, porém não se sabe a segurança dessa ingestão. O objetivo deste estudo foi avaliar a toxicidade do extrato etanólico dos frutos da Campomanesia guazumifolia (EECG) por exposição aguda e doses repetidas em ratos Wistar. Para isso, foram utilizadas 6 ratas com exposição única à dose do extrato (2000 mg/kg) e foram observadas por 14 dias. Para a toxicidade de doses repetidas, 40 ratos Wistar foram divididos em quatro grupos experimentais (n= 10 animais/grupo, 5 machos e 5 fêmeas), sendo um controle (água + álcool 10%) e três diferentes doses de EECG (250, 500 ou 750 mg/kg) tratados por 28 dias, por via oral (gavagem). A exposição aguda mostrou que o LD50 é superior a 2000 mg/kg. A exposição repetida, por outro lado, mostrou que vários parâmetros bioquímicos e hematológicos, importantes para a avaliação da toxicidade, foram alterados, mais em ratos machos do que em fêmeas, indicando prováveis efeitos tóxicos e que é preciso cautela para o uso prolongado dessa fruta. No entanto, os frutos de C. guazumifolia atuaram como hipocolesterolêmicos.
Natural products are increasingly used around the world as an alternative form of treatment for many diseases and their use has increased due to the belief that everything that is "natural" does not cause adverse health effects. However, it is known that many plants can present toxic substances and trigger adverse reactions. The fruit of Campomanesia guazumifolia can be consumed in natura or for the manufacture of jellies, however, the safety of this ingestion is not known. The purpose of this study was to evaluate the toxicity of the fruits ethanolic extract of the Campomanesia guazumifolia (EECG) by acute exposure and repeated doses in Wistar rats. For this, 6 female rats were used with a single exposure to the extract dose (2000 mg/kg) and were observed for 14 days. For the toxicity of repeated doses, 40 Wistar rats were divided into four experimental groups (n= 10 animals/group, 5 males and 5 females), being a control (water + 10% alcohol) and three different doses of EECG (250, 500 or 750 mg/kg) treated for 28 days, orally (gavage). Acute exposure showed that the LD50 is greater than 2000 mg/kg. Repeated exposure, on the other hand, showed that several biochemical and hematological parameters, important for toxicity evaluation, were altered, more in male rats than in females, indicating probably toxicit effects and that caution is needed for prolonged use of this fruit. However, the fruits of C. guazumifolia acted as hypocholesterolemic.

Descrição

Palavras-chave

Exposição subcrônica, Ratos, Frutas, Campomanésia, Análises bioquímicas, Hepatotóxico, Subchronic exposure, Rats, Fruit, Campomanesia, Biochemical analyses, Hepatotoxic

Como citar