Percepção e atitudes de estudantes de odontologia sobre a pobreza

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-08-09

Autores

Santos, Beatriz Ferraz dos [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Doenças bucais são prevalentes em pessoas que vivem na pobreza. Esse fenômeno complexo pode ser explicado por diversos fatores, sendo as barreiras no acesso aos serviços de saúde bucal uma das princípais causas. Além da falta de recursos, pessoas pobres também subutilizam os serviços odontológicos devido às experiências negativas na clínica odontológica. Uma possível razão é que a conceituação, percepção e atitude dos profissionais em relação a pobreza geram impactos diretos sobre a qualidade do cuidado em saúde bucal bem como na relação com os pacientes desfavorecidos. Entendendo que os estudantes serão os futuros profissionais, o objetivo desse estudo foi desvelar a percepção e as atitudes de estudantes de Odontologia sobre a pobreza e as pessoas pobres. Para isso foi realizada uma survey descritiva com os alunos regularmente matriculados no curso de graduação em Odontologia de Universidades Públicas do Estado de São Paulo. Um questionário semi-estruturado foi respondido pelos alunos que aceitaram participar da pesquisa a fim de identificar: 1) os dados gerais dos estudantes; 2) a prática profissional futura pretendida por eles; 3) a percepção e as atitudes dos mesmos com relação a pobreza e as pessoas pobres; 4) e dados sócio-econômicos. Análise descritiva dos dados, cross-tabs e regressão logística com intervalo de confiança de 95% (IC) foram usadas para avaliar a diferença entre os grupos. A análise estatística foi complemetada pela análise fatorial. Foi demonstrado que a prática profissional intencionada pelos estudantes de Odontologia é a de se tornar especialista. Associações foram observadas entre gênero, nível sócio-econômico, universidade e ano de graduação e a intenção de seguir a carreira no serviço público de saúde. O senso de responsabilidade profissional para prestar...
Oral diseases are prevalent amongst people living in poverty. This complex phenomenon can be explained by several factors. The barriers preventing access to oral health services is a major cause. Poor people underutilize dental services due to negative experiences in clinical dentistry. One possible reason is that the conception, perception and attitude of professionals towards poverty generate direct impacts on the quality of care in oral health as well as in relation to disadvantaged patients. Understanding that students are future professionals, the aim of this study was to examine the perceptions and attitudes of dental students about poverty and poor people. A cross sectional study was carried out with students enrolled in the undergraduate program in dental public universities in the state of São Paulo. A semi-structured questionnaire was answered by the students who agreed to participate in the research to identify: 1) the profile of the students, 2) the desired future practice for them, 3) the perception and attitudes of dental students towards poverty and poor people, 4) and socioeconomic data. Descriptive analysis, cross-tabs and logistic regression with confidence interval 95% (CI) were used to evaluate the differences between the groups. Statistical analysis was supplemented by factor analysis. Our study has shown that the practice intended by the dental students is to become a specialist. Associations were observed between gender, socioeconomic status, university and graduation year and students’ intentions to pursue a career in public health service. The sense of professional responsibility to provide care for disadvantaged populations as well as the perceptions and attitudes of dental students about the poor were considered moderately positive. We observed a tendency among students... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Palavras-chave

Saúde bucal, Oral health

Como citar

SANTOS, Beatriz Ferraz dos. Percepção e atitudes de estudantes de odontologia sobre a pobreza. 2011. 100 f. +. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Odontologia de Araraquara, 2011.