Prevalência e fatores associados a Sofrimento Psíquico entre estudantes de Enfermagem, Medicina e Nutrição do campus de Botucatu

Imagem de Miniatura

Data

2016-08-26

Autores

Gomes, Lilian de Almeida [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: O sofrimento psíquico atinge grande parte da população, e pode ser caracterizado por um acentuado e duradouro desconforto emocional, angústia, tristeza, falta de expressão afetiva, esgotamento emocional, isolamento social, dentre outros sintomas. Os estudantes universitários, especialmente da área da saúde, carregam expectativas diversas em relação ao futuro profissional e no decorrer de sua formação são expostos às mais variadas situações que mobilizam seu sofrimento psíquico, podendo vir a comprometer tal formação. Objetivo: Estimar a prevalência e identificar os fatores associados a Transtorno Mental Comum (TMC), entre os estudantes universitários da área da saúde, dos cursos de Enfermagem e Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu e de Nutrição do Instituto de Biociências. Método: Este é um estudo transversal que se insere na pesquisa “Condições de vida e saúde de estudantes de Enfermagem, Medicina e Nutrição do campus de Botucatu”, cujos dados foram colhidos em 2013. Trata-se assim, de uma análise parcial do referido banco de dados. A variável dependente é TMC, investigada a partir do Self Report Questionnaire, considerando-se caso mulheres com 8 pontos ou mais e homens com 6 pontos ou mais. As variáveis independentes são as características sociodemográficas e rede de apoio avaliada pela Escala de Apoio Social (EAS). Inicialmente foi feita análise descritiva, seguida de análise bivariada e posteriormente foram construídos modelos de regressão logística para cada um dos cursos. Foi adotado o nível de significância estatístico de p < 0,05, para rejeição da hipótese de nulidade. Resultados: Nos três cursos a taxa de resposta foi superior a 80%. A prevalência de TMC foi 40,9%, sendo significativamente diferente (p<0,001): 57,5% na Enfermagem, 40,7% na Medicina e 26,6% na Nutrição. Após a análise multivariada mostraram-se fatores de risco para TMC conforme questionário, na Enfermagem: pensar ou ter pensado em abandonar o curso e na Nutrição, pensar ou ter pensado em abandonar o curso e ter dificuldade para fazer amigos; conforme Escala de Apoio Social menor escore na Enfermagem de apoio interação e na Medicina e Nutrição de apoio informação. Em todos os cursos sentir-se rejeitado mostrou-se associado a TMC. Conclusão: A prevalência de TMC foi elevada e associou-se a aspectos relativos a apoio social e relacionamento com pares. Estratégias que aprimorem o relacionamento interpessoal podem auxiliar os alunos no manejo de seu sofrimento psíquico.
Background: The psychological distress affects a big part of the population, and can be characterized by an accentuated and lasting emotional distress, anxiety, sadness, lack of emotional expression, emotional exhaustion, social isolation among other symptoms. College students, especially in the health field, carry different expectations about the professional future and during their course are exposed to various situations that mobilize their psychological distress that may compromise their studies. Objective: To estimate the prevalence and identify factors associated with Common Mental Disorder (CMD) among university students in the health area, at Medicine and Nursing courses of Botucatu Medical School and Nutrition at the Institute of Biosciences. Method: This is a cross-sectional study that is part of the survey "Conditions of life and health of Nursing, Medicine and Nutritian at Botucatu campus", whose data were collected in 2013. It is a partial analysis of that database. The dependent variable is CMD, investigated by the Self Reporting Questionnaire, considering “case” women with 8 points or more and men with 6 points or more. The independent variables are: demographic characteristics and support network assessed by Social Support Scale. Initially descriptive analysis was performed, followed by bivariate analysis and finally, logistic regression models were run for each of the courses. The statistical significance adopted was p <0.05 to reject the null hypothesis. Results: In the three courses the response rate was over 80%. The prevalence of CMD was 40.9% and was significantly different (p <0.001): it was 57.5% in Nursing, 40.7% in Medicine and 26.6% in medical nutrition. After multivariate analysis, the risk factors observed for CMD as questionnaire in Nursing: think or have thought to leave the course and Nutrition, think or have thought to leave the course and find it difficult to make friends; as Social Support Scale lowest score in Nursing support interaction and Medicine and Nutrition support information.In all the courses feel rejected was associated with CMD. Conclusion: The prevalence of CMD was high and was associated with aspects of social support and relationship with peers. Strategies that improve interpersonal relationships can help students to deal with their mental suffering.

Descrição

Palavras-chave

Medical students, Nursing students, Nutrition students, Sofrimento psiquico, Transtorno mental comum, Estudantes de Medicina, Estudantes de Enfermagem, Estudantes de Nutrição, Fatores de risco, Psychological distress, Common mental disorder, Risk factors

Como citar