Retardo na procura do tratamento odontológico e percepção da saúde bucal em mulheres grávidas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012

Autores

Nogueira, Laís Trosdorf [UNESP]
Valsecki Júnior, Aylton [UNESP]
Martins, Caroline Rehländer [UNESP]
Rosell, Fernanda Lopez [UNESP]
Silva, Silvio Rocha Corrêa da [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

The objective was to assess in women with children under 5 years old what happened to your pregnancy in relation to dental care, coupled with a probable correlation between the level of their knowledge on dental health and possible reasons which lead or have led to a late seeking such treatment. The interviews were conducted in an environment of health center in the city center and the Odontoly Faculty in Araraquara. Among the interviews mothers, 57% refused the dental treatment during pregnancy. It appears on mothers that are afraid to perform a dental treatment during pregnancy. The misinformation on this issue often associated with this belief in the medical field that dental care during the first three months of pregnancy is harmful to the baby. Such information passed on to mothers leads to a hesitancy with dental treatment during this period. The educational level of mothers did not interfere in this pursuit, and 24.5% of them avoid treatment during pregnancy. The difference, however, is between those mothers of high educational level, performing oral prevention before pregnancy.
Este trabalho teve como objetivo verificar em mulheres com crianças até 5 anos de idade o que ocorreu no seu período gestacional em relação a tratamentos odontológicos, associado a uma provável correlação entre o nível de seu conhecimento sobre a saúde bucal e possíveis razões que a levariam ou a levaram a uma busca tardia a esse tratamento. As entrevistas foram realizadas em ambientes do Posto de Saúde Central do município e na Faculdade de Odontologia de Araraquara. Dentre as mães entrevistadas, 57% recusaram o tratamento odontológico durante a gestação. Verificou-se que as mães têm receio de realizarem um tratamento odontológico durante o período gestacional. A desinformação sobre essa questão, muitas vezes, está associada à crença na área médica de que o atendimento odontológico durante os primeiros três meses de gestação é prejudicial ao bebê. Tal informação transmitida às mães acarreta uma hesitação ao tratamento odontológico nesse período. O nível educacional das mães não interferiu nessa busca, sendo que 24,5% delas evitam o tratamento durante a gestação. O diferencial, entretanto, é que as mães de alto nível de escolaridade realizam prevenção bucal antes da gravidez.

Descrição

Palavras-chave

Pregnant women, Pregnancy, Dental care, Anxiety, Assistência odontológica, Ansiedade, Gestante, Gravidez

Como citar

Odontologia Clínico-Científica, v. 11, n. 2, p. 127-131, 2012.