Relações de Gênero, memória e identidades no Brasil do século XX

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

Gender relationships focusing on homages to the women of Assis (a town in the center-western region of the state of São Paulo, Brazil) between 1959 and 1994, are discussed. Homages, expressed in monuments, street names, city squares, schools, libraries, Cultural Centers and other places, are based on the activities of women who benefitted the community. They feature lawyers, politicians, journalists, teachers and common citizens that exceeded their personal limitations and conquered a place acknowledged by society (politically invested) so that their names may be inscribed in the city´s public places. However, acknowledgement of female contributions in the construction of the city is not projected at the same pace or speed as that of males who compose the gallery of ‘remembered men’. This fact brings forth the following questions: If the naming of public places were for decades based on gender, what had changed by the end of the 1950s for such a redefinition? What is the true meaning of such homages? Who are these women and what do they represent?
Este texto pretende discutir las relaciones de género, tomando como objeto de reflexión los homenajes a las mujeres de la ciudad de Assis (ubicada en el centro-oeste del Estado de San Pablo), entre 1959 y 1994, expresadas en monumentos, nombres de calles, plazas, escuelas, Biblioteca y Centro Cultural, entre otros. Estos tributos son justificados por las acciones de dichas mujeres a favor de la comunidad (como abogada, política, periodista, profesoras o como ciudadanas comunes), que superaron los límites del universo personal, conquistando el derecho y el reconocimiento de representantes de la sociedad (investidos de poder público) de tener sus nombres inscriptos en los espacios públicos de la ciudad. Sin embargo, este reconocimiento no se proyecta con la misma rapidez que con los hombres que integran la galería de los “hombres memoria”, lo que lleva a las siguientes indagaciones: si el nombramiento de espacios públicos, durante largas décadas, estuvo pautado por cuestiones de género, ¿qué fue lo que cambió a fines de los años 50?; ¿cuál es el significado de tales homenajes?; ¿qué representaban y quiénes eran esas mujeres en la sociedad de Assis?
Este texto discute as relações de gênero tomando como objeto de reflexão as homenagens às mulheres da cidade de Assis (município localizado no centro-oeste do Estado de São Paulo), entre os anos de 1959 e 1994, expressas nos monumentos, nas placas das ruas, nas praças, nas escolas, biblioteca, centro cultural, entre outros locais. Esses tributos são justificados por suas ações em prol da coletividade, como advogada, política, jornalista, professoras ou cidadãs comuns que ao ultrapassarem os limites do universo pessoal, conquistaram o direito e o reconhecimento de representantes da sociedade (investidos de poder público), de terem os seus nomes inscritos nos espaços públicos da cidade. Porém, esse reconhecimento da contribuição das mulheres na construção dessa urbe não se projeta com a mesma rapidez que desponta com os homens que passam a compor a galeria dos “homens-memória”, constatação que leva às seguintes indagações: se as nomeações dos espaços públicos estiveram por longas décadas pautadas por questões de gênero, o que mudou no final dos anos 1950 para essa redefinição? Qual a significação dessas homenagens? O que representaram e quem eram essas mulheres na sociedade assisense?

Descrição

Palavras-chave

Gender relationships, Female memories, Women in public spaces, Relaciones de género, Memoria de mujeres, Mujeres en los espacios públicos, Relações de gênero, Memória de mulheres, Mulheres nos espaços públicos

Como citar

Dialogos, v. 18, n. 3, p. 1005-1037, 2014.