Conversa de senhoras: a performance do feminino em Ana Cristina Cesar

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-02-21

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

On Ana Cristina Cesar's (1952-1983) poetics, feminine stereotyped discourses and parodies use of textual genders such as correspondences and intimate diaries, produce an ironic effect wherein it is played, in a provocative manner, the relation of the woman herself, transmuted in discourse, to the literary tradition, which has been, throughout History, predominantly masculine. Furthermore, her games with autobiography and the ostensive questionings regarding an identitarian fixity extend the problematization of feminine subject to the problematization of poetry's subjectivity itself. For those reasons and for maintaining a constant and desacralized dialogue with modern tradition, this carioca poet bequeathed to us an original poetic diction, forged by bricolage of dissonant voices, some of them stemming from high literary tradition and others cunningly picked of daily life banality. Giving sustentation for this paper, theories related to modern poetry examination and its origins such as those conducted by HAMBURGUER (2007), BARBOSA (2009) and other German Romanticism related theorists have been performed, in addiction to studies on gender performance fields, such as done by Judith BUTLER (2010), named Gender trouble: feminism and identity subversion, and KLINGER (2007), on performative narrative fields. Ana Cristina Cesar's critical fortune fundamental texts have been read as well.
Na poética de Ana Cristina Cesar (1952-1983), a utilização de paródias de gêneros textuais como a correspondência e o diário íntimo e de discursos femininos estereotipados produz um e efeito irônico que encena, de forma provocativa, a própria relação da mulher, transmutada em discurso, com a tradição literária, que fora, ao longo da História, predominantemente masculina. Além disso, os jogos com a autobiografia e os questionamentos ostensivos de uma fixidez identitária ampliam a problematização do sujeito feminino em direção à problematização da própria subjetividade na poesia. Por essas razões e por manter um diálogo constante e dessacralizado com a tradição moderna, a poeta carioca legou-nos uma dicção poética original, forjada pela bricolagem de vozes dissonantes, algumas provindas da alta tradição literária e outras colhidas com astúcia da banalidade do cotidiano. Como sustentação teórica deste trabalho, foram utilizadas teorias relacionadas à averiguação do poema moderno e de suas origens como HAMBURGUER (2007), BARBOSA (2009) e teóricos relacionados ao Romantismo Alemão, além de estudos na área da performance de gênero, como o de Judith BUTLER (2010), denominado Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade e RAVETTI (2002), AZEVEDO (2004) e KLINGER (2007), na área de narrativas performáticas. Foram lidos ainda os textos fundamentais da fortuna crítica de Ana Cristina Cesar.

Descrição

Palavras-chave

Cesar, Ana Cristina, 1952-1983 Crítica e interpretação, Literatura brasileira - História, crítica - teoria, Poesia brasileira - Séc. XX. História, crítica - teoria, Identidade (Conceito filosófico) na literatura, Identidade sexual na literatura, Mulheres na literatura

Como citar

JUSTINO, Katiuce Lopes. Conversa de senhoras: a performance do feminino em Ana Cristina Cesar. 2014. 151 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, 2014.