Constipação intestinal prediz o tempo de ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva

Resumo

Background and objectives: Recent studies have demonstrated that intestinal constipation (IC) is an independent prognostic factor in critically ill patient s evolution. In addition, constipation treatment can result in better outcome. The purpose of this study is to evaluate the incidence of IC in intensive care unit (ICU) patients receiving enteral nutrition, and its association with duration of mechanical ventilation (MV) and length of stay, and mortality in ICU. Method: We prospectively evaluated 26 patients of both genders, older than 18 years, exclusively receiving enteral nutrition for at least three days who were admitted to an ICU from November/ 2011 to January/2012. Demographic data, diagnosis, duration of MV and enteral nutrition, bowel habits, and outcomes were registered. Results: Patients average age was 60.5 18.7 years old, and 50% were male. Duration of MV was 9.0 7.3 days and median length of ICU stay was 13.0 (7.0-18.0) days. Patients with constipation (n = 13, 50%) took longer time to meet nutritional requirements. In addition, duration of MV was twofold higher in IC patients compared to non-IC patients. In linear regression analysis for prediction ofMV time, IC was a predictor of longer duration of MV, even after adjustment for gender and illness severity (p = 0.043). However, IC was not associated with length of stay in ICU or mortality. Conclusion: The presence of constipation in critically ill patients predicts longer duration of MV. Therefore, creation and implementation of clinical protocols for IC treatment is of fundamental importance.
Justificativa e objetivos: Estudos recentes têm identificado a constipação intestinal (CI) como fator prognóstico independente na evolução de pacientes críticos e mostrado que seu tratamento pode resultar em melhor prognóstico. O objetivo deste estudo foi avaliar a incidência de constipação intestinal em pacientes com nutrição enteral internados em unidade de terapia intensiva (UTI) e sua associação com o tempo de ventilação mecânica (VM) e de internação e a mortalidade. Método: Foram incluídos prospectivamente 26 pacientes de ambos os sexos, acima de 18 anos, com uso de dieta enteral de forma exclusiva por no mínimo três dias durante a internação na UTI de novembro de 2011 a janeiro de 2012. Foram registrados dados demográficos, diagnósticos, dias em VM, duração da terapia de nutrição enteral, hábito intestinal e desfecho clínico. Resultados: A idade média dos pacientes foi 60,5 18,7 anos, sendo que 50% eram homens. O tempo de VM foi de 9,0 7,3 dias e a mediana do tempo de internação na UTI foi de 13,0 (7,0-18,0) dias. Os pacientes constipados (n = 13; 50%) demoraram mais tempo para atingir a meta nutricional prescrita. Além disso, apresentaram tempo de VM duas vezes maior que os sem constipação. Em análise de regressão linear para predição de tempo de VM, a constipação foi preditora de maior tempo de VM, mesmo após ajuste por gênero e gravidade (p = 0,043). No entanto, a CI não esteve associada ao tempo de internação na UTI ou ao óbito. Conclusão: A presença de CI em pacientes críticos é preditora de maior tempo de ventilação mecânica. Portanto, a criação e implantação de protocolos para o tratamento da CI na UTI é de fundamental importância.

Descrição

Palavras-chave

Critically ill patients, Intestinal constipation, Mechanical ventilation, Constipação intestinal, Paciente crítico, Ventilação mecânica

Como citar

Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, v. 11, n. 1, p. 2-5, 2013.