Show simple item record

dc.contributor.authorBarros, Thiago Henrique Bragato [UNESP]
dc.date.accessioned2016-05-18T14:55:57Z
dc.date.available2016-05-18T14:55:57Z
dc.date.issued2015
dc.identifierhttp://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=530
dc.identifier.citationBARROS, Thiago Henrique Bragato. Uma trajetória da arquivística a partir da análise do discurso: inflexões histórico-conceituais. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015. (Coleção PROPG Digital- UNESP). ISBN 9788579836619.
dc.identifier.isbn9788579836619
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/138613
dc.description.abstractNeste livro considerou-se a Análise do Discurso uma disciplina que apresenta princípios metodológicos capazes de contribuir para a compreensão e delimitação de campos científicos e sociais, pois é por meio do jogo de enunciados, permeado por posições ideológicas colocadas em jogo no processo histórico social, que o texto (oral e escrito) é produzido, ou seja, a Arquivística relaciona-se com formações discursivas e formações ideológicas e estão relacionadas ao seu processo de construção histórica. Assim, propõe-se a apresentação de elementos histórico-conceituais que ressaltem as diferenças e semelhanças entre a esfera teórica e a esfera institucional na Arquivística. O problema configurou-se em buscar sistematizar e identificar o discurso institucional e a teoria Arquivística, construindo um paralelo histórico entre o percurso da área em tradições cruciais para a prática e a teoria Arquivística na atualidade. Por meio da análise das práticas teóricas e profissionais a respeito da representação Arquivística na atualidade pelos autores de três correntes selecionadas (brasileira, canadense e espanhola) e como os mesmos são trabalhados nas instituições Arquivísticas federais destes países. Deste modo, objetivou-se por meio do quadro teórico-metodológico da Análise do Discurso compreender como se comportam, se constroem e se desenvolvem esses conceitos na Arquivística, visando a uma possível sistematização conceitual e discursiva da disciplina. Esta análise acorreu em primeira instância a partir de uma análise teórico-histórica das tradições e em segunda instância atores específicos e fundamentais, no caso teórico e das instituições Arquivísticas que centralizam e demarcam o campo de atuação dos arquivistas no caso, os Arquivos Nacionais ou gerais. Chegou-se a delimitação de possíveis formações discursivas na Arquivística uma relacionada ao “tradicionalismo” e outra ao “reformismo”. Conclui-se que a Arquivística possui formações discursivas complexas construídas ao longo de sua trajetória institucional e teórica.pt
dc.language.isopor
dc.publisherCultura Acadêmica
dc.relation.ispartofColeção PROPG Digital (UNESP)
dc.relation.ispartofhttp://hdl.handle.net/11449/144876
dc.subjectArquivologiapt
dc.subjectRepresentação arquivísticapt
dc.titleUma trajetória da arquivística a partir da análise do discurso: inflexões histórico-conceituaispt
dc.typeLivro
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramCiência da Informação - FFCpt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Filosofia e Ciências, Maríliapt
dc.identifier.fileISBN9788579836619.pdf
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record