Show simple item record

dc.contributor.authorParreira, Stella Maris de Castro Pipinis
dc.contributor.authorJusto, José Sterza [UNESP]
dc.date.accessioned2014-05-20T15:16:51Z
dc.date.available2014-05-20T15:16:51Z
dc.date.issued2005-08-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722005000200003
dc.identifier.citationPsicologia em Estudo. Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá (UEM), v. 10, n. 2, p. 175-180, 2005.
dc.identifier.issn1413-7372
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/30212
dc.description.abstractO presente artigo discute os sentidos da filiação para crianças abrigadas, vítimas de violência doméstica. O desejo dessas crianças de recuperar a filiação familiar é analisado como busca de um lugar psicossocial. As crianças abrigadas, que sofreram uma ruptura na filiação primeva e história de vida, flutuam entre vinculações efêmeras, sem referências de seu passado e sem pontos fixos e sólidos para seu assentamento no presente que lhes possam servir de guia ou de novas filiações. Tal condição de desfiliação é focalizada como tendência da sociedade contemporânea em afrouxar vinculações, movimentar os ancoradouros psicossociais e produzir desterritorializações, favorecendo uma subjetividade móvel, não identitária, desenlaçada de encaixes e conexões duradouros. Como conclusão, é apontada a continuidade histórica da vitimização da infância realizada pela condição de trânsito e passagem na qual vive, impeditiva de constituições de vínculos duradouros e sólidos que permitam uma suficiente estabilidade e segurança para a prospecção do mundo.pt
dc.description.abstractThe present study discusses the meaning of family bonding for sheltered children, victims of domestic violence. These children's hope of recovering the family ties is analyzed as a search for a psychosocial status. The sheltered children, who suffered a rupture in the primeval filiation and history of life, float among ephemeral bonding, without references of their past and without fixed and solid points for their establishment in the present to serve as a guide or new filiations. Such condition of unfilial behavior is focused as a tendency of the contemporary society in loosening bonding, moving psychosocial status and producing non-stable situations favoring a movable subjectivity where family ties is not a priority. As a conclusion, it is appointed a historical continuity of oppression of the childhood caused by the condition of transitional attachment in their lives, impeding the building of solid and long term ties in order to allow a sufficient stability and support to face life.en
dc.format.extent175-180
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual de Maringá (UEM), Departamento de Psicologia
dc.relation.ispartofPsicologia em Estudo
dc.sourceSciELO
dc.subjectcriançaspt
dc.subjectviolência domésticapt
dc.subjectfiliaçãopt
dc.subjectchildrenen
dc.subjectdomestic violenceen
dc.subjectfamily tiesen
dc.titleA criança abrigada: considerações acerca do sentido da filiaçãopt
dc.title.alternativeThe sheltered child: considerations on family tiesen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e Letras
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e Letras
dc.identifier.doi10.1590/S1413-73722005000200003
dc.identifier.scieloS1413-73722005000200003
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências e Letras, Assispt
dc.identifier.fileS1413-73722005000200003.pdf
dc.relation.ispartofsjr0,229
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record