O romance europeu do século XIX: uma leitura de Notre-Dame de Paris (1831) de Victor Hugo e A tale of two cities (1859) de Charles Dickens

Imagem de Miniatura

Data

2011-05-30

Autores

Santos, Leandra Alves dos [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar a categoria da espacialidade e o procedimento grotesco nos romances Notre-Dame de Paris (1831) de Victor Hugo e A tale of two cities (1859) de Charles Dickens, mostrando como esses procedimentos narrativos auxiliam na projeção das ações das personagens e como produzem efeito de sentido, revelando assim uma das infinitas leituras oferecidas pelas referidas obras. Em Notre-Dame de Paris (1831), Victor Hugo revela a miséria humana por meio da marca dos sentimentos opostos que habitam no homem; as contradições desses sentimentos existentes uma ao lado da outra, e não no predomínio de uma sobre a outra. Os espaços da narrativa hugoana são configurações de um novo tempo-espaço marcado pela modernidade da época, e representam uma extensão dos personagens desse romance. Em A tale of two cities (1859), Charles Dickens expressa a miséria que permeia as cidades em crise diante da mesma modernidade, evidenciando que a fome, a ausência de liberdade e de condições de vida adequadas para se viver na urbe moderna transformam o homem em um ser irracional e insensível
This study aims to analyse the spatiality category and the grotesque procedure in the novels Notre-Dame de Paris (1831) written by Victor Hugo and A tale of two cities (1859) written by Charles Dickens, the intention is to show how these narrative procedures help in the projection of the characters actions and how they can produce meaning effect, thereby revealing infinite readings which are offered by the referred works. In Notre-Dame de Paris (1831), Victor Hugo reveals the human misery through the opposite feelings which inhabit the human mind; the contradictions of those feelings exist one alongside another and not on the dominance of one over the other. The spaces in Hugo’s narrative are configurations of a new time-space defined by the modernity era, and they represent an extension of the characters in this novel. In A tale of two cities (1859), Charles Dickens expresses the misery that permeates the cities facing crisis in the same modernity, emphasizing that hunger, the lack of freedom and the appropriate living conditions in order to inhabit the modern metropolis transform man into an irrational and insensitive human being

Descrição

Palavras-chave

Hugo, Victor 1802-1885, Dickens, Charles 1812-1870, Literatura, Literature

Como citar

SANTOS, Leandra Alves dos. O romance europeu do século XIX: uma leitura de Notre-Dame de Paris (1831) de Victor Hugo e A tale of two cities (1859) de Charles Dickens. 2011. 144 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciencias e Letras (Campus de Araraquara), 2011.