Produção de imunossensor para identificação de células-tronco mesenquimais de coelho

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-02-16

Autores

Bovolato, Ana Livia de Carvalho [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Diante do crescente uso de células-tronco em medicina regenerativa aliada a importância de diagnóstico rápido, os imunossensores surgem como ferramentas que propiciam rapidez, seletividade e sensibilidade. Foi investigada a construção de um imunossensor para identificação de células-tronco mesenquimais de coelho frente à inexistência no mercado, de marcadores específicos para a espécie. Com o objetivo de identificar a célula-tronco mesenquimal (CTM) em amostras biológicas, foi proposto a construção de filmes pela técnica layer-by-layer (LbL) com solução de quitosana e anticorpo monoclonal de especificidade anti-CD90 produzido home made (HM) para aplicação em imunossensores eletroquímicos. Inicialmente foi caracterizado o anticorpo monoclonal produzido por técnicas imunoquímicas. A classe do anticorpo produzido é IgG1. O crescimento dos filmes foi confirmado por voltametria cíclica (VC) pela área dos voltamogramas. A distorção dos voltamogramas foi observada com maior adsorção em 4 bicamadas, considerado como cobertura completa do eletrodo. Foi padronizado e produzido o biofilme de 4 bicamadas para fixação dos anticorpos monoclonais murinos anti-CD90 HM com solução de quitosana 0,2%. A análise dos resultados obtidos com imunossensor comparando-se com a citometria de fluxo identifica a elevada sensibilidade do mesmo para a confirmação da presença de CTM em amostras biológicas, havendo necessidade de mais desenvolvimento para a quantificação das células. A partir de uma concentração de 103 CTM e leitura em 20 minutos já se obtém resposta evidenciando o reconhecimento específico, de menor concentração celular do que a técnica gold standard por citometria de fluxo. Análises estatísticas definem que para obter o melhor rendimento do imunossensor o tempo de incubação ideal é de 30 minutos. A detecção eletroquímica da solução de anticorpos anti-CD90 HM foi feita por VC, e foi observada uma mudança nas correntes obtidas em potenciais positivos, principalmente em 0,28V e também da área dos voltamogramas.

Descrição

Palavras-chave

Imunossensores, Célula-tronco mesenquimal, Anticorpos monoclonais, Filme automontado

Como citar