Vicentina Aranha de sanatório a parque: histórias e mudanças

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014

Autores

Santos, Laís Martins dos [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

This assignment intents to analyze the recover and the research of the cultural legacy identity of Vicentina Aranha Sanatorium to the inhabitants of the city of São José dos Campos-SP. That initiative becomes present through the importancy of the sanatorium to the public health of Vale do Paraíba in the decades between 30 and 70, of the 20th century. Nowadays this place refuges a park, presenting a reexamination of its space, with the possibility of the leisure practice, entertaining and tourism. The Vicentina Aranha Sanatorium Park presents itself conserving a landscape that is able of being inserted in a continuum past-present resignifying ways of appropriation and use. The word patrimony has many meanings and it‟s commonly associated to the set of goods that someone, the society or an entity owns. Transporting in a determinate territory, the patrimony starts to be a set of goods that are in its limits of administrative competency. (BARRETO, 2000). More than this, the cultural-historical patrimony guard a relation of belonging between it and the entity that has it. The Vicentina Aranha Sanatorium was inaugurated in 1924, with the project of the architect, Ramos de Azevedo, constituting an architectural ensemble placed under governmental trust as a historical and cultural patrimony of the state in 2001. It has a grove with centenary vegetal species like: MOGNO, PEROBA ROSA, JEQUITIBÁ and JACARANDA, constituting also a natural patrimony important for the city. There are projects like “Leitura no Bosque” and it‟s visited by the local population. Today the city seeks a new identity for that place transforming it in the center of industrial and technologic study
Este estudo buscou analisar a recuperação e a busca da identidade do legado cultural do Sanatório Vicentina Aranha para os moradores da cidade de São José dos Campos – SP. Tal iniciativa se faz presente através da importância do sanatório para a saúde pública do Vale do Paraíba nas décadas de 30 a 70, do século XX. Este local nos dias atuais abriga um parque, apresentando uma releitura do seu espaço, com a possibilidade da prática de lazer, entretenimento e turismo. O parque Sanatório Vicentino Aranha se apresenta conservando uma paisagem que permite ser inserida num continum passado-presente ressignificando formas de apropriação e uso. A palavra patrimônio tem vários significados e comumente está associado ao conjunto de bens que uma pessoa, coletividade ou uma entidade possuem. Transportado a um determinado território, o patrimônio passa a ser o conjunto de bens que estão dentro de seus limites de competência administrativa. (BARRETO, 2000). Mais que isso, o patrimônio histórico-cultural guarda uma relação de pertencimento entre ele e a coletividade que o detém. O Sanatório Vicentina Aranha foi inaugurado em 1924, com o projeto do arquiteto Ramos de Azevedo, compondo um conjunto arquitetônico tombado como patrimônio histórico e cultural do Estado em 2001. Possui um bosque com espécies vegetais centenárias como: mogno, peroba rosa, jequitibá e jacarandá, compondo também um patrimônio natural importante para cidade. Há projetos como o Leitura no Bosque e é frequentado pela população local. O município hoje busca dar uma nova identidade aquele lugar transformando-o em centro de ensino industrial e tecnológico

Descrição

Palavras-chave

Arquitetura, Patrimônio cultural, Patrimonio historico, Sanatorios, Parques - São José dos Campos (SP), Parque Vicentina Aranha (São José dos Campos, SP)

Como citar

SANTOS, Laís Martins dos. Vicentina Aranha de sanatório a parque: histórias e mudanças. 2014. 60 f. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Geografia) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2014.