Influência da posição dos implantes em maxilar e condição de carga na distribuição de tensão em implantes de prótese de arco completo: 3d-fem

Imagem de Miniatura

Data

2021-06-25

Autores

Grande, Mateus Favero Barra [Unesp]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Efeito da distância entre os pilares anteriores dos implantes no desempenho biomecânico da prótese implanto-suportada ainda não está claro. Este estudo avaliou o tratamento com seis implantes em termos dos efeitos biomecânicos da distribuição dos implantes na maxila edêntulo, usando a análises de elementos finitos. Os modelos de elementos finitos in vitro, foram construídos a partir de um manequim pré-existente com a colocação de implantes hexágono externo, bem como uma estrutura de Cobalto-Cromo em um manequim edêntulo. Três foram analisados: Grupo A em implantes inseridos na região de caninos, primeiro pré-molares e segundos molares. Grupo B em implantes inseridos na região de primeiro pré-molar, primeiro molar e segundo molar e grupo C em segundo pré-molar, primeiro molar e segundo molar. As cargas foram aplicadas na área dos incisivos centrais (100N), primeiro pré-molar (300N) e nos segundos molares (300N). Para as simulações dos elementos finitos foram analisando os picos de tensões de von-Mises no implante e no osso cortical circundante. Todos os resultados registrados relataram valores mais altos para a prótese implanto-suportada no grupo C em comparação com os grupos A e B. O valor de tensão máxima para os três grupos foi na prótese do grupo C (4,4 × 102 Mpa) e nos parafusos (2,5 × 102 Mpa), já os menores foram no grupo A (2,08 × 101 Mpa), Em ambos os grupos, independentemente da magnitude e direção de carregamento, as tensões máximas registradas de von Mises dos implantes e deslocamento da prótese foram menores no grupo A. Concluindo que a presença dos implantes mais distalizados resultou em tensões mais altas quando a aplicação de carga na região anterior da prótese implanto-suportada.
The impact of the distance between the anterior implant abutments on the biomechanical performance of the implant-supported prosthesis treatment is still unclear. This study evaluated the treatment with six implants in terms of the biomechanical effects of the distribution of the implants in the edentulous maxilla, using three-dimensional tests of finite element analysis. The in vitro finite element models were built from a pre-existing mannequin with the placement of external hexagon implants, as well as a Cobalt-Chromium structure in an edentulous jaw. Three types of loads were applied: in the area of the central incisors (100N), first premolar (300N) and in the second molars (300N) and all at the same time. For finite element simulations, von-Mises stress peaks in the implant and in the surrounding cortical bone were analyzed. All recorded results reported higher values for the implant-supported prosthesis in group C compared to groups A and B. The maximum stress values for the three groups were in the group C prosthesis (4.4 × 102με) and in the screws (2.5 × 102με), the smallest ones were in group A (2.08 × 102με). In both groups, regardless of the magnitude and direction of loading, the maximum von Mises tensions recorded from the implants and denture displacement were lower in group A. Concluding that the presence of the most distalized implants resulted in higher tensions when the load was applied to the anterior region of the implant-supported prosthesis.

Descrição

Palavras-chave

, Implantes dentários, Fenômenos biomecânicos, Prótese dentária, Dental implants, Biomechanical phenomena, Dental prosthesis

Como citar