Avaliação dos danos por fluência da serpentina da caldeira da REVAP

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2012

Autores

Santos, Paulo Alexandre dos [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The determination of the remaining life of equipment operating at high temperatures has been a great challenge for their owners. The use of safety factors, often conservative, makes the replacement of equipment or of its components at the end of the life of design gets financially unviable. This study aimed to estimate the remaining life of the serpentine of the secondary superheater of one of REVAP’s boilers (Henrique Lage Refinery), through accelerated creep tests and comparison of the results with the techniques based on microstructure and hardness. When conducting a proper assessment it’s possible to increase the equipment reliability, ensuring operational continuity and physical integrity. The tests showed a minimal residual life of 12.7 years (111,252 hours), longer than the design life (100,000 hours), even after a period of operation of approximately 250,000 hours, confirming the conservatism of the project. The techniques based on microstructure and hardness did not show good correlation with the creep test, decreasing the reliability of these techniques in determining the residual life
A determinação da vida remanescente de equipamentos que operam a altas temperaturas tem sido um grande desafio para seus proprietários. A utilização de fatores de segurança, muitas vezes conservadores, faz com que a substituição dos equipamentos ou de seus componentes no final da vida de projeto seja financeiramente inviável. Este trabalho teve como objetivo estimar a vida residual da serpentina do superaquecedor secundário de uma das caldeiras da REVAP (Refinaria Henrique Lage), através de ensaio acelerado de fluência e comparar os resultados com as técnicas baseadas na microestrutura e na dureza. Ao realizar uma avaliação adequada é possível aumentar a confiabilidade do equipamento, garantindo a continuidade operacional e a integridade física. Os ensaios realizados apresentaram uma vida residual mínima de 12,7 anos (111.252 horas), tempo maior que a vida de projeto (100.000 horas), mesmo após um período de operação de aproximadamente 250.000 horas, confirmando o conservadorismo do projeto. As técnicas baseadas na microestrutura e na dureza não apresentaram boa correlação com o ensaio de fluência, diminuindo a confiabilidade destas técnicas na determinação da vida residual

Descrição

Palavras-chave

Caldeiras, Microestrutura

Como citar

SANTOS, Paulo Alexandre dos. Avaliação dos danos por fluência da serpentina da caldeira da REVAP. 2012. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Engenharia Mecânica) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá, 2012.