Identidade feminina: a constituição da identidde múltipla e contraditória na literatura hispanoamericana do início do século XX

Nenhuma Miniatura disponível

Data

2010

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

O estudo da proposta foucaultiana sobre o poder possibilita focalizar as diferenças sociais de gênero como “multiformes e integradas” com outros pontos de poder, os quais não podem ser reduzidos à estrutura binária dominante/dominado, na relação homem/mulher. Portanto, não existe uma estrutura de “opressão de gênero” universal e mono-causal, pois os diferentes contextos discursivos geram campos atravessados por relações de forças muito diversas e variadas, e uma dinâmica de posições de sujeito que também é regulada e aberta a contingências. Por um lado, pensando nas diferenças de gênero e no posicionamento do sujeito dentro do marco de referência nas primeiras décadas do século XX, no qual há a afirmação do papel da mulher como um sujeito social, público, intelectual e artista, mas também assumindo sua categoria de Mãe e Mulher em uma sociedade patriarcalmente estruturada e, por outro lado, vislumbradas a partir das contribuições teóricas da crítica feminista, da crítica literária feminista e, especialmente, da crítica pós-feminista, denominada pósfoucaultiana por July Cháneton (2007), no sentido em que estas teóricas incorporam critica e produtivamente as idéias de Foucault sobre gênero, subjetividade e poder, verificamos como o discursivo-literário de Alfonsina Storni representa a construção de uma subjetividade feminina de posição identitária “múltipla e contraditória”, como parte constitutiva de uma diversidade de posições-sujeito feminina.

Descrição

Palavras-chave

identidade feminina/feminista, discurso-literário, literatura hispano-americana, estudos foucaultianos

Como citar

II Seminário Nacional de Estudos da Linguagem, v. 1, p. 1-11, 2010.