Estudo biomecânico das microdeformações ao redor de pilares protéticos para próteses multíplas sob carregamento não axial estático

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-08-12

Autores

Silva, Jhenifer Rodrigues [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar a microdeformação ao redor de implantes, geradas por cargas não axiais estáticas, em pilares protéticos minipilar e cônico (CMN) em prótese múltipla de três elementos, por meio da extensometria. Foram confeccionados dez blocos em poliuretano para cada grupo avaliado (n=20). Cada bloco recebeu três implantes na configuração “off set”, seus respectivos pilares protéticos (CMN ou minipilar) e uma prótese múltipla de três elementos (n=20). Foram colados quatro extensômetros na superfície de cada bloco tangenciando cada implante para a realização dos ensaios. Para cada bloco foi fundida uma prótese múltipla de três elementos em Liga NiCr (n=20). Foi utilizado um dispositivo de aplicação de cargas com carga de 30 kgf sobre os pontos C, D, E e F durante 10 segundos, sob três repetições, seguindo um esquema fatorial de: 2 x 3. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente através do teste RM ANOVA dois fatores e teste t em duas amostras em par para médias (p<0,05). No minipilar a maior média de microdeformação (1369,68με) foi observada no extensômetro 4 (EG4), quando aplicada carga no ponto de aplicação F. Enquanto que a menor média de microdeformação (473,29 με) foi observada no extensômetro 3 (EG3), quando aplicada carga no ponto de aplicação C. Já no pilar CNM, a maior média de microdeformação (1418,64με) foi observada no extensômetro 4 (EG4), quando aplicada carga no ponto de aplicação F enquanto a menor média de microdeformação (550,53 με) foi observada no extensômetro 1 (EG1), quando aplicada carga no ponto de aplicação C. O estudo concluiu que os pilares CMN apresentaram comportamento biomecânico compatíveis aos minipilares. Portanto, o componente não axial do pilar CMN parece não contraindicar sua utilização suportando próteses múltiplas.
This study aimed to analyze the microdeformation around implants, generated by static non-axial loads, in mini-pillar and conical prosthetic abutments (CMN) in multiple three-element prosthesis, by means of extensometry. Ten blocks in polyurethane were made for each group evaluated (n=20). Each block received three implants in the “off set” configuration, their respective prosthetic pillars (CMN or minipillar) and a multiple three-element prosthesis (n=20). Four strain gauges were glued on the surface of each block, tangent to each implant, to carry out the tests. For each block, a three-element multiple prosthesis in NiCr Alloy (n=20) was cast. A load application device with a load of 30 kgf was used on points C, D, E and F for 10 seconds, under three repetitions, following a factorial scheme of: 2 x 3. The data obtained were statistically analyzed using the test Two-way RM ANOVA and t-test on two paired samples for means (p<0.05). In the mini-pillar, the highest mean microstrain (1369.68με) was observed in strain gauge 4 (EG4), when load was applied at application point F. While the lowest mean microstrain (473.29 με) was observed in strain gauge 3 (EG3 ), when load was applied at application point C. On the CNM abutment, the highest mean microstrain (1418.64με) was observed in strain gauge 4 (EG4), when load was applied at application point F, while the lowest microstrain mean ( 550.53 με) was observed in strain gauge 1 (EG1), when load was applied at application point C. The study concluded that CMN abutments presented biomechanical behavior compatible with mini-pillars. Therefore, the non-axial component of the CMN abutment does not seem to contraindicate its use when supporting multiple prostheses.

Descrição

Palavras-chave

Implantes dentários, Fenômenos biomecânicos, Prótese dentária, Teste de materiais, Dental implants, Biomechanical phenomena, Dental prosthesis, Test materials

Como citar