Práticas de Escritas de Si como Espaços de Formação

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2008
Autores
Camargo, Maria Rosa R. Martins de [UNESP]
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Universidade Estadual Paulista (Unesp)
Resumo
Que relações podem ser estabelecidas entre o vivido e o lembrado? Que desafios as práticas da escrita de si trazem para a formação? Proponho uma interlocução com trabalhos que venho orientando em que autor/as produzem reflexões que remetem a um modo de relacionarem-se consigo mesmos, enquanto sujeitos do conhecimento do objeto pesquisado, e revelam-se em uma escrita pautada nas mudanças de pensamento. Aporto-me na valorização da narrativa como forma artesanal de comunicação, vinculada à substância viva da existência, que é a experiência; na experiência da escrita literária, razão de ser da própria existência; na experiência como o que nos acontece. Referir-se à experiência vivida é relatar a caminhada da pesquisa, a construção do objeto, caminhos teórico-metodológicos, as considerações. Referir-se ao lembrado é transitar (dançar?) pelo que escapa às formalizações, cada relato é único, próprio, coisa que penetra, contamina, deixa marcas e provoca abertura para quem lê; são relatos do lembrado que vem pela memória e materializa-se em fragmentos materiais deixados por quem pratica uma escrita de si. A relação entre a experiência vivida e o lembrado abre pistas para pensar a formação.
What relationships may be established between what is lived and remembered? What challenges the writing practices bring to the formation? I propose a dialogue with studies I have been advised where authors produce reflections that forward to a manner of interrelationship between oneself while subject of knowledge of the object researched and are revealed in the writing ruled in the changes of thinking. I ruled myself in the valorization of the narrative as a workmanship manner of communication linked to the alive substance of the existence, the experience; in the experience of literacy writing, the reason of being of the own existence; in the experience as it happens to us. To refer to the living experience it is to report the hike of the research, the construction of the object, theoretical-methodological ways, the considerations. To refer to the remembered is to pass through (dance?) of what is escaped to the formalizations, each report is unique, peculiar, a thing that penetrates, contaminates, labels, provoke an opening to whom read; are reports of the unforgotten that comes through the memory and materialize in a material fragments led by whom practice its own writing. The relationships between the experience that has lived and remembered gives clues for thinking the formation.
Descrição
Palavras-chave
narrativa, formação, trajetória de formação
Como citar
Educação: Teoria e Prática, v. 18, n. 31, 2008, p. 117.