Deposição atmosférica de nitrogênio reativo sobre o estado de São Paulo-Brasil

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-03-06

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O nitrogênio (N) é um elemento fundamental para os seres vivos; contudo, o N disponível biologicamente é aquele conhecido como nitrogênio reativo (Nr). O presente trabalho propõe quantificar e analisar a variabilidade espacial da concentração e deposição atmosférica seca de nitrogênio reativo no estado de São Paulo, através de sua fase gasosa (HNO3; NH3; NO2) e particulada (NO3-; NH4+). Amostradores de coleta por Denuder (DELTA) foram distribuídos espacialmente em seis sítios de amostragem, abrangendo diferentes tipos de cobertura do solo e urbanização. As amostras foram coletadas ao longo de dois anos (2015-2017). A forma dominante de Nr inorgânico na atmosfera foi o NO2 gasoso em todos os locais de amostragem, o que representou 79% do total. As concentrações médias de NH3, HNO3, NH4+ e NO3− foram de 10%, 3%, 6% e 2% do total de Nr, respectivamente. A umidade relativa e a velocidade do vento foram significativas para explicar parte da variabilidade das concentrações de Nr na atmosfera, enquanto a precipitação foi importante apenas para a concentração de NO2. A deposição média de Nr seco no Estado de São Paulo foi de 8,9 kgN ha-1 ano-1. A maior deposição média de Nr foi encontrada no sudeste do Estado de São Paulo e está relacionada ao intenso tráfego de veículos, gerenciamento de resíduos e atividades industriais. Considerando a região onde a Mata Atlântica está localizada, este trabalho mostra que a deposição total de Nr seco por si só (sem considerar a deposição de espécies úmidas ou orgânicas) excedeu a carga crítica de Nr sugerida para a maioria das florestas do mundo, implicando, portanto, que as atividades humanas nas áreas circundantes afetam a integridade da biodiversidade de uma das regiões mais importantes da América do Sul. Esses resultados contribuirão para melhorar as estimativas do balanço de Nr e avançar na utilização de modelagem de deposição de Nr.
Nitrogen (N) is a fundamental element for living beings; however, the biologically available N is known as reactive nitrogen (Nr). The current work proposes to quantify and analyze the spatial variability of the concentration and dry atmospheric deposition of reactive nitrogen in the state of São Paulo, through its gas phase (HNO3; NH3; NO2) and particulate phase (NO3-; NH4+). Denuder collection samplers (DELTA) were spatially distributed in six sampling sites, covering different types of ground cover and urbanization. The samples were collected over two years (2015-2017). The dominant form of inorganic Nr in the atmosphere was gaseous NO2 in all sampling sites, what represented 79% of the total. The average concentrations of NH3, HNO3, NH4+ and NO3- were 10%, 3%, 6%, and 2% of the total Nr, respectively. The relative humidity and wind speed were significant to explain part of the variability of Nr concentrations in the atmosphere, while precipitation was important only for the concentration of NO2. The average of dry Nr deposition in the State of São Paulo was 8.9 kgN ha-1 year-1. The highest average deposition of Nr was found in the southeastern of São Paulo state and is related to the intense vehicle traffic, waste management, and industrial activities. Considering the region where the Atlantic Forest is located, this work shows that the total deposition of dry Nr by itself (without considering the deposition of wet or organic species) exceeded the critical load of Nr suggested for most of the world's forests, implying, therefore, that human activities in the surrounding areas affect the biodiversity’s integrity of one of the most important regions of South America. These results will contribute to improve the estimates of the Nr balance and progress the use of Nr deposition modeling.

Descrição

Palavras-chave

Nitrogênio, Deposição atmosférica, Deposição seca de nitrogênio, Nitrogen, Atmospheric deposition, Dry nitrogen deposition

Como citar