Uso da abordagem meta-analítica para avaliar a glicerina e melaço na dieta de bovinos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-08-09

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O aumento no uso de biocombustíveis (bioetanol e biodiesel) em substituição aos combustíveis de origem fóssil, foi acompanhado pela preocupação da adequada destinação dos seus resíduos (ex. melaço, grãos de destilaria, glicerina). A inclusão desses resíduos na dieta animal, além de incentivo à cadeia de produção de alimento, possibilita a adequada destinação desses resíduos. No entanto, são contraditórias as informações sobre o impacto da inclusão de melaço e glicerina na dieta de bovinos de corte e leite sobre o desempenho, parâmetros físico-químicos da carne e leite. Nesse contexto, objetivou-se a partir do uso da abordagem meta-analítica, o desenvolvimento de quatro estudos, avaliando o impacto da utilização do melaço e da glicerina na dieta de bovinos sobre o desempenho, características de carcaça, parâmetros físico-químicos e perfil de ácidos graxos da carne e do leite. No estudo 1, avaliou-se o efeito da glicerina bruta em dietas para bovinos de corte sobre o desempenho, parâmetros físico-químicos e o perfil de ácidos graxos da carne. A inclusão de glicerina bruta não afetou o ganho médio diário dos animais, aumentou a eficiência alimentar em 3,15%, reduziu o teor de colesterol (9,13%) e a concentração de ácidos graxos saturados totais em 1,05%, e aumentou os ácidos graxos insaturados totais (2,02%) e monoinsaturados (3,17%) na carne. No entanto, não afetou as concentrações de ácido linoleico conjugado e ômega-3. A concentração de ácido graxo na carne foi modificada com inclusão de glicerina bruta a partir de 70 dias de fornecimento. Inclusões de glicerina bruta em até 200 g/kg na dieta, não afetaram negativamente o desempenho, as características da carcaça e os parâmetros físico-químicos da carne, e proporcionaram aumento no total de monoinsaturado (17,33 mg), ácido oleico (12,29 mg) e ácido palmitoléico (1,24 mg), enquanto reduziram o ácido mirístico (3,08 mg) e o ácido esteárico (12,00 mg) na carne. No estudo 2, avaliou-se o efeito da inclusão de glicerina na dieta de vacas leiteiras sobre o perfil de ácidos graxos do leite. O efeito da inclusão de glicerina na dieta sobre a produção de gordura do leite foi dependente do grupo genético, em que vacas Holandesas e suas mestiças, produziram menos gordura no leite em comparação às vacas Jersey. Inclusões de glicerina acima de 150 g/kg na dieta reduziram a concentração de gordura, ácidos graxos insaturados, monoinsaturados, poli-insaturados e ácido linoleico conjugado (CLA C18: 2 cis-9 e trans-11) no leite. No estudo 3, avaliou-se o efeito do uso de melaço em dietas para bovinos de corte em sistema de confinamento sobre o desempenho e parâmetros de carcaça. O grupo genético e o período de suprimento do melaço foram as principais covariáveis que afetaram as respostas do metabolismo, desempenho e parâmetros de carcaça. A inclusão de melaço na dieta sobre o ganho médio diário (GMD) sofreu efeito do tipo de melaço e teor de concentrado da dieta. Quando utilizado o melaço de beterraba, houve redução no GMD em 0,24 kg/d. Quando incluído em dietas com 800-900 g/kg concentrado na matéria seca da dieta, reduziu o GMD em 0.18 kg/d. Além disso, a inclusão de melaço reduziu a gordura mesentérica em 1.61 kg e a gordura que envolve os rins, a cavidade pélvica e o coração em 1.59 kg. Independente do tipo de melaço, inclusões acima de 200 g/kg reduziram o GMD e peso de carcaça. Entretanto, inclusões entre 100-150 g/kg não apresentaram efeito sobre o desempenho e parâmetros de carcaça. No estudo 4, avaliou-se o efeito da inclusão do melaço em dietas para vacas leiteiras sobre a produção e concentração de gordura no leite. O efeito da inclusão de melaço na dieta sobre a composição do leite foi dependente do grupo genético e dia de lactação. Quando vacas Jersey foram alimentadas com melaço a concentração de proteína no leite aumentou em 0,81 g/kg, sem alterar o consumo e a produção de leite. A inclusão de melaço acima de 60 g/kg de MS, independente do grupo genético ou período de lactação, reduziu a produção de leite e as concentrações de proteína e lactose. A inclusão de melaço até 120 g/kg MS aumentou em 11,52% a concentração de ômega-3 no leite, sem afetar a concentração de ácidos graxos poli-insaturados e CLA C18: 2 cis-9, trans-12 e produção e concentração de gordura no leite.
The increase in the use of biofuels (bioethanol and biodiesel) to replace fossil fuels was accompanied by the concern for the proper destination of their residues (e.g., molasses, distillery grains, glycerin). The inclusion of these residues in the animal diet, in addition to encouraging the food production chain, enables the proper disposal of these residues. However, information on the impact of including molasses and glycerin in the diet of beef and dairy cattle on performance, physicochemical parameters of meat and milk is contradictory. In this context, the objective was, from the use of the meta-analytical approach, the development of four studies, evaluating the impact of the use of molasses and glycerin in the diet of cattle on performance, carcass characteristics, physicochemical parameters and profile of fatty acids from meat and milk. In study 1, the effect of crude glycerin in beef cattle diets on performance, physicochemical parameters and fatty acid profile of meat was evaluated. The inclusion of crude glycerin did not affect the animals' average daily gain, increased feed efficiency by 3.15%, and reduced the cholesterol content (9.13%) and the concentration of total saturated fatty acids by 1.05%, and increased total unsaturated fatty acids (2.02%) and monounsaturated (3.17%) in meat. However, it did not affect conjugated linoleic acid and omega-3 concentrations. The fatty acid concentration in meat was modified with the inclusion of crude glycerin after 70 days of supply. Inclusions of crude glycerin up to 200 g/kg in the diet did not negatively affect meat performance, carcass characteristics and physicochemical parameters, and showed an increase in the total monounsaturated (17.33 mg), oleic acid (12. .29 mg) and palmitoleic acid (1.24 mg), while it reduced myristic acid (3.08 mg) and stearic acid (12.00 mg) in meat. In study 2, the effect of including glycerin in the diet of dairy cows on the fatty acid profile of milk was evaluated. The effect of including glycerin in the diet on milk fat production was dependent on the genetic group, in which Holstein cows and their crossbreds produced less milk fat compared to Jersey cows. Inclusions of glycerin above 150 g/kg in the diet reduced the concentration of fat, unsaturated fatty acids, monounsaturated, polyunsaturated and conjugated linoleic acid (CLA C18: 2 cis-9 and trans-11) in milk. In study 3, the effect of using molasses in diets for beef cattle in a feedlot system on performance and carcass parameters was evaluated. The genetic group and the period of molasses supply were the main covariates that affected the responses of metabolism, performance and carcass parameters. The inclusion of molasses in the diet on the average daily gain (ADG) was affected by the type of molasses and the concentrate content of the diet. When beet molasses was used, there was a reduction in ADG by 0.24 kg/d. When included in diets with 800-900 g/kg concentrate in the total diet, it reduced ADG by 0.18 kg/d. In addition, the inclusion of molasses reduced mesenteric fat by 1.61 kg and fat kidneys, pelvic cavity and heart by 1.59 kg. Regardless of the type of molasses, inclusions above 200 g/kg reduced ADG and carcass weight. However, inclusions between 100-150 g/kg had no effect on performance and carcass parameters. In study 4, the effect of including molasses in diets for dairy cows on milk fat production and concentration was evaluated. The effect of including molasses in the diet on milk composition was dependent on genetic group and day of lactation. When Jersey cows were fed molasses, the protein concentration in milk increased by 0.81 g/kg, without altering milk consumption and production. The inclusion of molasses above 60 g/kg DM, regardless of genetic group or lactation period, reduced milk production and protein and lactose concentrations. The inclusion of molasses up to 120 g/kg DM increased the concentration of omega-3 in milk by 11.52%, without affecting the concentration of polyunsaturated fatty acids and CLA C18: 2 cis-9, trans-12 and production and concentration of fat in milk.

Descrição

Palavras-chave

Ácidos Graxos, Carcaças, Carne Qualidade, Leite, Subprodutos, Glicerina

Como citar