Mercantilização do futebol: o processo de difusão e financeirização da pratíca esportiva e as exportações de jogadores brasileiros

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-10-29

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

In the current period of financialization of the economy, football establishes itself as one of the main investments of financial institutions that, from the spatial adjustment, seek to give vent to overaccumulated capital. In this way, from globalization, football is consolidated as a product of society and modifies the financial reality of the sector. However, in a globalized and unequal economy there are adverse relationships between producing and consuming countries. In this context, the assumption of this work is to analyze the export of Brazilian players due to the process of financialization of football, especially since the creation of Pelé Law. The hypothesis is that from the adoption of neoliberal measures, Brazil began to suffer the consequences of financialization in the sphere of football, bearing the financial administrative logic as the main guide of the decisions of the national football market. In this way, a survey will be carried out on the exports of players, especially from the 1990s, to analyze whether there was actually an increase in the exports of Brazilian players dating from this period - specifically between the years of 2012 to 2017. Also it will be a purpose of this research to investigate the implications of the process of diffusion and financialization of the modality, such as: the insertion of football in the Brazilian territory, professionalization, and the purchase of clubs by financial groups
No atual período de financeirização da economia, o futebol se estabelece como um dos principais investimentos das instituições financeiras que, a partir do ajuste espacial, procuram dar vazão ao capital sobreacumulado. Dessa forma, a partir da globalização, o futebol consolida-se como produto da sociedade e modifica a realidade financeira do setor. Entretanto, em uma economia globalizada e desigual, há relações adversas entre países produtores e consumidores. Nesse contexto, o pressuposto desse trabalho é analisar a exportação de jogadores brasileiros decorrente ao processo de financeirização do futebol, sobretudo a partir da criação da Lei Pelé. A hipótese é que a partir de adoção de medidas neoliberais, o Brasil passou a sofrer as consequências da financeirização no âmbito do futebol, portando a lógica administrativa financeira como principal norteadora das decisões do mercado futebolístico nacional. Dessa maneira, será realizado um levantamento de dados sobre as exportações de jogadores, especialmente a partir da década de 1990, para analisar se realmente houve aumento nas exportações de jogadores brasileiros a datar deste período - mais especificamente entre os anos de 2012 a 2017. Também será propósito dessa pesquisa a investigação das implicações do processo de difusão e financeirização da modalidade, como: a inserção do futebol no território brasileiro, a profissionalização e a compra de clubes por grupos financeiros

Descrição

Palavras-chave

Brasil [Lei n. 9.615, de 24 de março de 1998], Mercantilismo, Futebol - Aspectos econômicos, Exportação - 2012-2017, Jogadores de futebol, Economia, Capital (Economia), Globalização, Neoliberalismo, Clubes de futebol, Brasil

Como citar

FERREIRA, Jonathan. Mercantilização do futebol: o processo de difusão e financeirização da pratíca esportiva e as exportações de jogadores brasileiros. 2018. 51 f. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Geografia) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2018.