Estudo de parâmetros clínicos e imunitários da vacinação contra a doença de Newcastle e sua importância epidemiológica em Agapornis (Agapornis roseicollis)

Imagem de Miniatura

Data

2012-07-30

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

As avaliações dos parâmetros clínicos, imunitários e epidemiológicos da vacinação contra a doença de Newcastle (DN) em agapornis (Agapornis roseicollis) foram investigadas em dois experimentos. Amostras vacinais Ulster 2C, B1 e LaSota do vírus da doença de Newcastle (VDN) foram utilizadas para imunização das aves. No experimento 1, utilizaram-se 48 agapornis, distribuídos em quatro tratamentos de 12 animais cada, num total de três repetições, submetidos a diferentes esquemas imunoprofiláticos. A resposta imune foi avaliada pelo teste de HI. Não foram observados sinais clínicos de reação pós-vacinal em qualquer grupo experimental. Os resultados dos títulos de anticorpos (HI) mostraram que a estirpe vacinal LaSota conferiu maior grau de imunidade aos agapornis, quando comparada às estirpes Ulster 2C e B1. Estas aves foram posteriormente desafiadas frente a uma estirpe patogênica do VDN (EID50=108,15/0,1mL), aos 12 meses de idade. Em todos os grupos, procedeu-se a pesquisa do RNA viral a partir de suabes cloacais, através da técnica de RT-PCR. Os agapornis de todos os grupos não demonstraram qualquer sinal clínico sugestivo da DN, mostrando-se refratários à doença clínica frente a este vírus. Entretanto, ficou caracterizado o estado de portador de VDN nesta espécie decorridos até 21 dias da infecção experimental com este patógeno. No experimento 2, foram utilizadas aves SPF (“Specific-Pathogen-Free”) conviventes com agapornis inoculados com uma estirpe patogênica do VDN. Observou-se a transmissão do VDN dos agapornis para as aves SPF conviventes decorridos até 21 da infecção experimental com este patógeno, o que realça a importância do agapornis como fonte potencial de infecção do VDN para aves domésticas
The evaluations of clinical, immunological and epidemiological parameters of vaccination against Newcastle disease (ND) in lovebirds (Agapornis roseicollis) were investigated in 2 experiments. Ulster 2C, B1 and LaSota vaccines strains of the Newcastle disease virus (NDV) were used to immunization of birds. In experiment 1, 48 lovebirds were distributed into 4 different treatments, with 12 birds in each, with a total of 3 repetitions, submitted to different vaccination programs. The immunological responses were measured by HI test. Lovebirds from all groups did not show any clinical signs of post vaccinal reaction. The antibody titers (HI) results showed that the immune vaccine programs adopted were different in stimulating protective levels of humoral immune response. These birds were also challenge with a pathogenic NDV strain (EID50=108.15/0.1mL) at 12 months of age. After the challenge in all groups, cloacal swabs were collected for RT-PCT to find the pathogenic viruses. Lovebirds from all groups did not demonstrate clinical signs of ND, being refractory to the clinical disease with the NDV. However, a NDV carrier state was demonstrated in this specie until 21 days after experimental infection. In experiment 2, SPF chicks were housed with lovebirds previously inoculated with a pathogenic NDV strain. The pathogenic virus (NDV) was transmitted from lovebirds to SPF chicks until 21 days after challenge, showing the importance of the lovebirds as source of dissemination of NDV to domestic birds

Descrição

Palavras-chave

Ave - Doenças, Agapornis (Ave), Newcastle, Doença de - Vacinação, Doença de Newcastle, Vacina contra, Epidemiologia veterinaria, Newcastle disease

Como citar

MARTINS, Gislaine Regina Vieira. Estudo de parâmetros clínicos e imunitários da vacinação contra a doença de Newcastle e sua importância epidemiológica em Agapornis (Agapornis roseicollis). 2012. xvi, 65 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2012.