Métodos diagnósticos para detecção da Leucemia viral felina

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2008

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The feline leukemia virus (FeLV) was described in 1964 by William Jarrett and collaborators wen find viral particles attached to the membrane of lymphoblasts in cat with lymphoma. The virus belongs to the family Retroviridae, subfamily oncornavirus. With worldwide distribution, the occurrence of FeLV has 1.6% in healthy cats and 10.8% in sick cats in Brazil. The mortality of persistently viremic animals in catteries is about 50% in two years and 80% in three years. In catteries that have endemic feline Coronavirus (FCoV), FeLV and / or Feline Immunodeficiency Virus (FIV), the FeLV infection has greater contribution to mortality. The test for infection and FeLV positive cats segregation is the main way to prevent the spread of infection. The diagnostic methods are based on clinical signs and changes compatible with FeLV infection observed by physical examination, complete blood count, X-ray, bone marrow aspirate and biochemical. The viral p27 protein is produced in infected cells in high amounts and is found in abundance in the cytoplasm and in body fluids enabling diagnosed methods such as enzyme-linked immunosorbent assay - ELISA and direct immunofluorescence, detection of viral genome (Chain Reaction Polymerase - PCR) and detection of the virus by virus isolation. Although diagnostic tests are highly sensitive, it should be made more than a confirmatory test, especially serological due to variable characteristic of the progress of infection
O vírus da leucemia felina (FeLV) foi descrito em 1964 por William Jarrett e colaboradores ao encontrarem partículas virais ligadas à membrana de linfoblastos em gato com linfoma. O vírus pertence à família Retroviridae, sub-família Oncornavirus. Com distribuição mundial, o FeLV apresenta ocorrência de 1,6% nos felinos sadios e 10,8% em felinos doentes no Brasil. A mortalidade de animais persistentemente virêmicos em gatis é aproximadamente 50% em dois anos e 80% em três anos. Em gatis que apresentam endemiapor Coronavírus felino (FCoV), FeLV e/ou Vírus da Imunodeficiência felina (FIV), a infecção por FeLV tem maior contribuição na mortalidade. O teste para infecção do FeLV e a segregação de gatos positivos, é a principal forma de prevenir a disseminação da infecção. Os métodos diagnósticos baseiam-se nos sinais e alterações clínicas compatíveis com a infecção pelo FeLV observados por exame físico, hemograma completo, raio-x, aspirado de medula óssea e bioquímicos. A de proteína viral p27 é produzida nas células infectadas em alta quantidade e é encontrada em abundância no citoplasma e nos fluidos corporais possibilitando o diagnósticopor métodos como “Enzyme-linked immunosorbent assay” - ELISA e Imunofluorescência direta; detecção de genoma viral (Reação em cadeia da polimerase - PCR) e detecção do vírus através do isolamento viral. Embora os testes diagnósticos sejam de alta sensibilidade, deve-se realizar mais de um teste para confirmação, principalmente os sorológicos, devido a característica variável do progresso da infecção

Descrição

Palavras-chave

Gato – Doenças - Diagnóstico

Como citar

AUGUSTI, Aline. Métodos diagnósticos para detecção da Leucemia viral felina. 2008. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Medicina Veterinária) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, 2008.