Urolitíase em trato urinário superior de cães e gatos

Imagem de Miniatura

Data

2023-01-17

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Dentre as principais causas de processos obstrutivos do trato urinário superior (TUS) de cães e gatos estão as estenoses, neoplasias, aderências, lesões iatrogênicas e cálculos. Apesar de serem diagnosticados com maior frequência no trato urinário inferior, os cálculos em TUS, especialmente ureterais, podem evoluir rapidamente com alta morbidade e grave comprometimento da função renal. Nefrólitos que cursem com compressão de parênquima renal, dor, obstrução do fluxo urinário, infecção e crescimento progressivo devem ser tratados. Dentre as técnicas mais recomendadas destaca-se a nefrolitotomia endoscópica e a litotripsia por ondas de choque extracorpórea, sendo esta última recomendada somente para cães. Em relação às ureterolitíases, o tratamento clínico possui taxas de sucesso entre 8 a 13% e não é recomendado na maioria dos casos. As principais formas de intervenção cirúrgica para estes cálculos são o stent ureteral tipo “duplo J” em cães e o bypass ureteral em gatos, um “ureter artificial” que passa pelo espaço subcutâneo, permitindo descompressão renal e restabelecimento do fluxo urinário sem a manipulação do ureter obstruído. O objetivo deste trabalho é elucidar as principais técnicas de tratamento das urolitíases em trato urinário superior de cães e gatos, comparando-as entre si com relação às suas recomendações para as espécies, vantagens e desvantagens descritas.
Among the upper urinary tract (UUT) main causes of obstruction in dogs and cats, there are neoplasias, strictures, adherences, iatrogenic and calculi. Despite being diagnosed more often in lower urinary tract, the uroliths in UUT, specially uretheral ones, can evolve quickly with high morbity rates and severe damage to kidney function. Only nephroliths that are causing kidney parenchyma compression, pain, obstructing urinary flow or growing progressively should be treated. Among the recommended treatment techniques in these cases, the endoscopic nephrolitothripsy and the ESWL - Extracorporeal shockwave lithotripsy are the main ones, with this last one indicated only for dogs. Regarding the ureteroliths, the clinical treatment has a success rate of 8-13% in cats and is not recommended in most cases. The main surgical intervention techniques are the “double pigtail” ureteral stent in dogs and the Subcutaneous ureteral bypass – SUB in cats, an “artificial urether” that passes through the patient’s subcutaneous, allowing kidney decompression and urinary flow restablishment, without manipulation in the obstructed urether. The objective of this study is to clarify the main treatment techniques for urolithiasis in the upper urinary tract in dogs and cats, comparing themselves according to their described recommendation, advantages and disadvantages.

Descrição

Palavras-chave

Urolitíases, Trato urinário superior, Obstrução, Extracorporeal shockwave lithotripsy (ESWL), Subcutaneous ureteral bypass (SUB), Nefrolitotomia endoscópica

Como citar