Desenvolvimento de produtos artesanais em bambu, transferência do conhecimento, capacitação da comunidade e geração de renda

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2015-09-18

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The Rural Settlement Horto Aimorés located in Bauru has about 350 families settled by INCRA since 2007 and the community, whose basic characteristic is the work with the land, is seeking alternatives to sustainability, setting the field and generation income. The Agro-Ecological Group Viverde composed of community residents currently works with organic agricultural products and crafts with bamboo raw. The training work with the craft began in 2008 in partnership with the Projeto Bambu-UNESP/Bauru under the coordination and supervision of Prof. Dr. Marco Antonio dos Reis Pereira. In the same year the extension project with the rural settlement was awarded covenant resources between Unesp and the Banco Real for extension projects/income generation and sustainability. Inside the Bamboo Project was created in 2009 the Taquara Group made up of students of Architecture and Urban Planning and Design at UNESP/Bauru which are now trained in the activities of Bamboo Design/Testing Laboratory with Bamboo Unesp Bauru, and from this training , began to develop workshops, lectures etc. next to the artisans of Viverde. That approach enabled the Group members the improvement of manufactured products applying design to parts and adding business value and ecological buildings techniques, whose main focus has been the feasibility of developing crafts and glued laminated bamboo (BLC) which can replace the use of native hardwood forest. At the same time, it is expected to enable this technology, which includes many of the variables of sustainable development, reaches the society as a whole.
O Assentamento Rural Horto de Aimorés localizado em Bauru possui cerca de 350 famílias assentadas pelo INCRA desde o ano de 2007 e a comunidade, que tem por característica básica o trabalho com a terra, vem buscando alternativas de sustentabilidade, fixação ao campo e geração de renda. O Grupo Agroecológico Viverde composto por moradores da comunidade desenvolve trabalhos com produtos orgânicos e artesanato com bambu in natura. O trabalho de capacitação com o artesanato teve início em 2008 com parceria do Projeto Bambu-UNESP/Bauru sob a coordenação e orientação do Prof. Dr. Marco Antônio dos Reis Pereira. Neste mesmo ano o projeto de extensão com a assentamento rural foi contemplado com recursos do convenio entre a Unesp e o Banco Real para projetos de extensão/geração de renda e sustentabilidade. Dentro do Projeto Bambu criou-se o Grupo Taquara formado por alunos de Arquitetura e Urbanismo e Design da UNESP/Bauru que passaram a ser capacitados dentro das atividades do Projeto Bambu/Laboratório de Experimentação com Bambu da Unesp de Bauru e, a partir desta capacitação, passaram a desenvolver oficinas, palestras, workshops etc. junto aos artesões do Grupo Viverde.Essa aproximação possibilitou aos integrantes do assentamento a melhora dos produtos confeccionados aplicando design às peças e agregando valor comercial e técnicas de bioconstruções, cujo enfoque principal tem sido a viabilidade do desenvolvimento de produtos artesanais e em bambu laminado colado (BLC), que possam substituir o uso de madeira nativa de floresta. Ao mesmo tempo, espera-se permitir que esta tecnologia, que engloba muitas das variáveis do desenvolvimento sustentável, chegue até a sociedade como um todo.

Descrição

Palavras-chave

Bamboo, Social technology, Generation income, Bambu, Tecnologia social, Geração de renda

Como citar

8º Congresso de extensão universitária da UNESP, p. 1-4, 2015.