Efeitos crônicos dos necromônios no crescimento da tilápia-do-Nilo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-02-22

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A comunicação química importante para que os animais consigam identificar e responder a situações de risco, especialmente nos ambientes aquáticos, nos quais as pistas químicas são mais facilmente dispersadas. Dentre as diversas pistas químicas que podem estar disponíveis no ambiente, encontramos os necromônios, pista química vinda de um organismo morto e que pode representar um estímulo estressor, podendo alterar processos importantes para o animal, como alimentação e reprodução. Avaliamos se a exposição diária a necromônios afeta variáveis morfofuncionais na tilápia-do-Nilo. Para isso utilizamos um conjunto de variáveis comportamentais (ingestão alimentar e latência alimentar), morfométricas (medidas lineares ), além da análise de massa e comprimento, percentual de variação de massa e comprimento, taxa de crescimento específico, fator de condição e modelo matemático de Ricker. Os animais foram expostos diariamente aos necromônios ou controle (água destilada) por um período de 30 dias, sendo todos os dias contabilizadas a latência alimentar e a taxa de ingestão, além de medições quinzenais de massa e comprimento padrão. No trigésimo dia foi feita a coleta de sangue para a análise da concentração de cortisol. Nosso estudo mostrou que essa exposição crônica afeta algumas dessas variáveis morfofuncionais da tílápia-do-Nilo. Encontramos um decréscimo na variação percentual de massa, na taxa de crescimento específico e na taxa de crescimento em função da temperatura para os animais expostos ao necromônio.

Descrição

Palavras-chave

comunicação química, morfometria, comportamento defensivo, pistas químicas

Como citar