Geologia e geoquímica do batólito granitoide Itaoca, sul do estado de São Paulo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-09-18

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

The Itaoca Granite is an intrusive circular batholith of 200 km2, located between the state of São Paulo and Paraná, more specifically on the center of Apiaí topographic sheet, in a 1:50,000 scale. It has an approximate age of 623 Ma, associated with the neoproterozoic evolution of the Central Mantiqueira Province. Its enclosing rocks of metavulcan-sedimentary composition make up the Lajeado Group of the Açungui Supergroup and present, in the surroundings of the batolith, a typical contact metamorphic mineralogy, with facies that vary from the epidote hornfels facies on the edges to the pyroxene hornfels, in the roof pendants. Using textural, structural, coloring and compositional aspects of the rock, the massif was further divided into two units, called Itaoca and Ribeira, subdivided into 6 facies, in addition to an association of undifferentiated facies. Petrographically, its rocks consist basically of hornblende-biotite-quartz monzonites to holo-leucocratic monzogranites. They have porphyritic texture, medium to coarse, isotropic to suborientated granulation. The Itaoca unit consists of less evolved rocks (quartz monzonites), possibly a primary magmatic pulse against the Ribeira Unit. Geochemically, the granitoid rocks are a cordilherian type I alkaline peraluminous calcium granite, sin a tardi collisional of magmatic arc environment by the fusion of the lower crust. Geological evolution is determined by the neoproterozoic tectonic-metamorphic arrangement, which is defined by three deformational phases. The two initial events are related to a tangential tectonic, linked to the collisional phase and consequent thickening of crustal masses followed by placement and partial deformation at the edges of the Itaoca batolith. The posterior deformation is marked by a transcurrent/transpressive tectonic in which occurs associated with late magmatic ascension and the deformed portion of the granite, classified within the association of undifferentiated facies. The progressive regional metamorphism is of the Barrovian type, with rocks in high green schist facies, with local occurrences of contact and dynamic metamorphism that have a retrometamorphic nature.
O Granito Itaoca constitui um batólito intrusivo de forma circular, de 200 km2, localizado entre o estado de São Paulo e Paraná, mais especificamente na porção central da folha topográfica de Apiaí, de escala 1:50.000. Apresenta idade aproximada de 623 Ma, associada a evolução neoproterozoica da Província Mantiqueira Central. Suas rochas encaixantes de composição metavulcanossedimentar compõem o Grupo Lajeado do Supergrupo Açungui e, apresentam nos entornos do batólito, mineralogia típica de metamorfismo de contato, com fácies que gradam da fácies epidoto hornfels nas bordas até piroxênio hornfels, nos teto-pendentes. Utilizando de aspectos texturais, estruturais, coloração e composicionais da rocha o maciço foi segmentado, ainda, em duas unidades, denominadas de Itaoca e Ribeira, subdivididas em 6 fácies, além de uma associação de fácies indiferenciadas. Petrograficamente suas rochas constituem, basicamente, hornblenda-biotita-quartzo monzonitos a monzogranitos, holo- a leucocráticos. Possuem textura porfirítica, granulação média a grossa, isotrópica a sub-orientada. A Unidade Itaoca é constituída de rochas menos evoluídas (quartzo monzonitos) que, possivelmente, se trata de um pulso magmático primário frente a Unidade Ribeira. Geoquimicamente, trata-se de um granito cálcio alcalino peraluminoso, do tipo I cordilheirano, sin a tardi colisional de ambiente de arco magmático pela fusão da crosta inferior. A evolução geológica é determinada pelo arranjo tectônico-metamórfico neoproterozoico, que é definida por três fases deformacionais principais. Os dois eventos iniciais são relacionados a uma tectônica tangencial, ligado à fase colisional e consequente espessamento de massas crustais seguido da colocação e parcial deformação nas bordas do batólito Itaoca. A deformação posterior é marcada por uma tectônica transtensiva/transtrativa em que ocorre associada à ascensão magmática tardia e a porção deformada do granito, classificada dentro da associação das fácies indiferenciadas. O metamorfismo regional progressivo é do tipo Barroviano, com rochas em fácies xisto verde alto, com ocorrências locais de metamorfismo de contato e o dinâmico que apresentam natureza retrometamórfica.

Descrição

Palavras-chave

Geoquímica, Petrologia, Granito Itaoca, Geochemistry, Itaoca granite, Petrography

Como citar