Conhecimentos “de” e “sobre” geometria de duas professoras iniciantes no contexto de um grupo colaborativo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-05-30

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A presente dissertação vincula-se à linha de pesquisa “Educação Matemática” do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Processos Formativos da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” de Ilha Solteira – SP (FEIS/UNESP) e teve como objetivo verificar em que sentido a experiência de compartilhar e narrar suas experiências em Geometria contribui para o aprender e ensinar em um grupo com características colaborativas. A metodologia adotada se enquadra no campo dos estudos qualitativos na modalidade de pesquisa ação-estratégica. Os dados foram coligidos no contexto de sessões reflexivas, bem como por meio de dois roteiros de entrevista semiestruturada com duas docentes em início de carreira no ambiente da colaboração. Adotamos um referencial teórico que discute aspectos da formação para o ensino de Matemática em cursos de Pedagogia, a presença da Geometria na Educação Básica a partir de uma articulação com as bases para o ensino de Lee Shulman (conhecimento específico de conteúdo, conhecimento pedagógico de conteúdo e conhecimento curricular de conteúdo) e processos de colaboração experienciados por grupos colaborativos no Brasil no campo da Educação Matemática. O contato direto com a situação problematizada nesta dissertação possibilitou caracterizar a fase do início da docência como sendo um momento conturbado, conflituoso e, ao mesmo tempo, de aprendizagens intensas para professoras iniciantes, uma vez que, no cotidiano da profissão, elas acabam por mobilizar saberes para “sobreviver” aos desafios que lhes são apresentados tanto pela escola quanto pela prática pedagógica em Matemática. No espaço do grupo, foi possível verificar que a interação com os demais membros proporcionou, pelo que indicam os dados, a ampliação do repertório didático-pedagógico em relação aos conteúdos ligados à Geometria, o que acaba por contribuir para o resgate desse campo matemático no cotidiano das aulas, como ainda para a prática de reflexão “de” e “sobre” seu ensino. Um elemento importante foi que no decorrer da experiência de pesquisa, com a prática de estudo coletivo, organização e planejamento das aulas, as professoras iniciantes passaram a gravar fragmentos de episódios de Geometria e compartilharam no grupo, razão que nos permite afirmar o potencial do recurso da videogravação como elemento de reflexão. Com o término desta investigação, é possível afirmar que as duas docentes tiveram contribuições importantes para a constituição de suas próprias práticas, promovendo autonomia e autocrítica ao se desenvolverem profissionalmente com apoio do grupo colaborativo.
The present work is linked to the line of research “Mathematical education” of the Postgraduate Program in Teaching and Formative Processes of the São Paulo State University “Júlio de Mesquita Filho” from Ilha Solteira – SP (FEIS/UNESP) and its aim was to verify in which sense the experience of the sharing and talking about experiences on Geometry contributes to the learning and teaching in a group with collaborative characteristics. The adopted methodology is fitted to the area of the qualitative studies in the modality of action-strategic research. The data were collected on the context of reflexive sections as well through use of two semi structured interview scripts with two teachers in the beginning of their carrier on the collaboration ambient. We have adopted a theoretical referential that discusses aspects of the formation to the teaching of the Mathematic in Pedagogy courses, the presence of the Geometry in the Basic Education from an articulation with the basis to the teaching of Lee Shulman (specific content knowledge, pedagogical content knowledge and curricular content knowledge) and processes of collaboration observed by collaborative groups in Brazil in the area of Mathematical Education. The direct contact with the problematic situation in the present work allowed to characterize the phase of the beginning of the teaching as being a troubled and conflicted moment but, at the same time, as a phase of intense learning by the beginning teachers, since, in the daily of the profession, they mobilize knowledge to “survive” amid the challenges presented by the school and the pedagogic practice in Mathematic. In the space of the group, it was possible to verify that the interaction with other members promoted the enlargement of the didactic-pedagogic repertoire in relation to the content liked to Geometry. This affirmation was supported by the observed data and it contributes to the rescue of this mathematical campus in the classes daily, as to the practice of the reflection on “of” and “about” its teaching. During the experience of the research with the practice of the collaborative studies, organization and planning of the classes, the beginning teachers have started to recording fragments of the episodes of Geometry and also to sharing with the group, reason the support the potential of the video recording as a reflection element. With the ending of this investigation, it is possible to affirm that both teachers had important contributions for the constitution of their practices through of the promotion of the autonomy and self-criticism to their professional development with the support of the collaborative group.

Descrição

Palavras-chave

Início da docência, Geometria, Grupo colaborativo, Beginning of the teaching, Geometry, Collaborative group

Como citar