Análise das unidades de observação de biocontrole da murcha de fusarium em maracujá: uma atividade de extensão rural do grupo guatambu da unesp ilha solteira.

dc.contributor.authorMonteiro, Éttore Santiago Zalinelo [UNESP]
dc.contributor.authorOliveira, Fagner Angelo da Silva e [UNESP]
dc.contributor.authorSant´Ana, Antonio Lázaro [UNESP]
dc.contributor.authorSaito, Eric Hiroki [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2017-01-02T15:39:26Z
dc.date.available2017-01-02T15:39:26Z
dc.date.issued2013
dc.description.abstractIntrodução: As doenças e pragas provocam prejuízos e limitam a expansão e a produtividade dos cultivos de maracujazeiro-azedo e doce no país (JUNQUEIRA et al., 2005). A utilização de biocontrole pode se constituir em uma estratégia importante para contornar estes problemas, sem afetar o meio ambiente. Diante de relatos de morte de plantas de maracujá, pelos produtores assentados, foi proposto aos mesmos a implantação de unidades de observação, visando o controle da doença com o uso de biofungicida.Objetivo: Avaliar a eficiência de biofungicida no controle da murcha de Fusarium sp. em cultura de maracujazeiro, em dois lotes do Assentamento Estrela da Ilha , em Ilha Solteira (SP).Metodologia: Utilizou-se um kit de controle biológico de doenças de solo, com um frasco de Trichodermil SC® (1 l) e dois sachês (10 g cada) de Trichodermil SP®, ambos com conídios do fungo Trichoderma harzianum. A multiplicação dos inóculos seguiu método recomendado pela Embrapa (MARQUES et al., 2007). Na produção das mudas utilizou-se sacos plásticos pretos perfurados com 1,5 dm3 de substrato comercial, com adição do arroz inoculado e as sementes a 1cm de profundidade. Metade das mudas ficou sem inoculação, como tratamento controle. Em um dos lotes , em 24/11/2012, foram plantadas 80 mudas de maracujá azedo, sendo 50 tratadas com Trichoderma harzianum e 30 mudas sem tratamento. Conforme orientações do fabricante aplicou-se Trichodermil SC® com bomba costal, na dosagem de 30 mL do produto comercial em 2 L de água. Foram feitas apenas duas aplicações, pois as mudas morreram. No outro lote o plantio ocorreu em 28/11/2012, seguindo os mesmos procedimentos da área anterior. Foram plantadas 20 mudas tratadas com Trichodermil SC® e 10 sem tratamento. Também seguiu-se as orientações do fabricante, aplicando-se 6ml de Trichodermil SC® na área. A primeira aplicação foi feita no dia 15 de dezembro de 2012, repetindo-se mensalmente até julho 2013. Resultados: No primeiro lote, as plantas desenvolveram-se bem durante 20 dias, sem apresentar nenhum sintoma de Murcha de Fusarium. Em seguida notou-se algumas plantas com a parte aérea murcha e, aos 60 dias após transplante, o tratamento foi interrompido, com a morte de quase todas as mudas.No segundo lote, no início, cerca de 20% morreram (especialmente as não tratadas), sendo substituídas por mudas tratadas. Neste caso as aplicações de Trichodermil SC continuaram até julho de 2013, com sobrevivência da maioria das mudas tratadas. Produtos biológicos são sensíveis aos fatores ambientais e de solo (FISHER et al., 2010) que podem ter interferido na colonização do fungo no solo e no estabelecimento de antagonismo com o fungo causador da doença, ocasionando a falta de controle em uma unidade de observação e a eficiência apenas parcial na outra.pt
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Fitotecnia, Tecnologia de Alimentos e Sócio Economia, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Fitotecnia, Tecnologia de Alimentos e Sócio Economia, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira
dc.format.extent09929
dc.identifierhttp://www.inscricoes.fmb.unesp.br/publicacao.asp?codTrabalho=OTkyOQ==
dc.identifier.citationCONGRESSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 7., 2013, Águas de Lindólia. Anais... São Paulo: PROEX; UNESP, 2013, p. 09751
dc.identifier.file2013-09929-oliveira.pdf
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/146748
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.relation.ispartofCongresso de Extensão Universitária
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourcePROEX
dc.subjectFungo de solopt
dc.subjectControle biológicopt
dc.subjectExtensão universitáriapt
dc.subjectAssentamento ruralpt
dc.titleAnálise das unidades de observação de biocontrole da murcha de fusarium em maracujá: uma atividade de extensão rural do grupo guatambu da unesp ilha solteira.pt
dc.typeTrabalho apresentado em evento
unesp.author.lattes2578970442440019[3]
unesp.author.lattes0000-0002-3287-7144[3]
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Engenharia, Ilha Solteirapt
unesp.departmentFitotecnia, Tecnologia de Alimentos e Sócio Economiapt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
2013-09929-oliveira.pdf
Tamanho:
136.13 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format