Avaliações externas e a formação continuada de professoras de matemática na educação básica: sobre elementos constitutivos do agir comunicativo

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-12-19

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A literatura sustenta convergências em salientar que as formações inicial e continuada de professores para avaliar as aprendizagens de habilidades concernentes ao componente curricular de Matemática na Educação Básica priorizam dimensões instrumentais de uma racionalidade técnica. Configura-se, assim, como imperativa, a explicitação objetiva e fundamentada de condições de possibilidade de ações antagônicas a tal cenário adverso. Com o objetivo de fomentar conhecimentos comprometidos com a inconteste necessidade de superação desta hegemonia sistêmica, o presente trabalho, ancorado em pautas que definem a atuação profissional dos professores, empreendeu análises voltadas para a proposição de elementos constitutivos do Agir Comunicativo, a saber, de elementos com potencial de fomentar interações dialógicas e negociações discursivas necessárias para a construção de consensos intersubjetivos. De modo mais específico, o presente estudo concentrou ênfase em discutir e analisar as implicações para a formação continuada de professores de Matemática da exposição obrigatória dos estudantes às avaliações externas no Estado de São Paulo: ao Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (SARESP) e à Avaliação da Aprendizagem em Processo (AAP). Fundamentado na Teoria da Ação Comunicativa de Jürgen Habermas, pretende-se gerar conhecimentos sobre a natureza de possíveis vinculações entre a política, a documentação e a instrumentalização necessárias para a implementação desta política pública educacional de avaliação do desempenho escolar e o discurso de professoras expostas cotidianamente a tal política pública. Apresenta-se um trabalho de natureza qualitativa, baseando em um estudo de caso em uma escola estadual no interior paulista, desenvolvido a partir de análise documental sobre os resultados do SARESP, as habilidades avaliadas pelas AAPs e os respectivos desempenhos por período letivo (anos e séries) do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio considerando os itens (questões) vinculados a tais desempenhos, além de entrevistas semiestruturadas realizadas com professoras de matemática e a coordenação pedagógica. Da análise dos resultados do SARESP, das habilidades avaliadas da AAP, dos desempenhos vinculados e das entrevistas realizadas, podemos evidenciar que as professoras de matemática desconhecem várias informações produzidas pela execução dos instrumentos de avaliação. Argumenta-se que tais informações, embora tenham potencial para o desenvolvimento profissional, diante do desconhecimento das docentes são eivadas da dimensão formativa que poderiam exercer por orientações assertivas, fundamentando atos de fala em interações discursivas sobre dimensões das avaliações externas e em larga escala, produzidas no interior das próprias instituições de ensino. Diante desses resultados, a Teoria da Ação Comunicativa de Habermas é apresentada como subsídio para que professoras de matemática possam analisar restrições formativas que o desconhecimento do potencial analítico que uma avaliação externa possa vir a ter e inseri-los, como elementos constitutivos, em uma situação que favoreça o pensar em sua formação e em sua ação, privilegiando espaços públicos de negociações discursivas para a construção de consensos e de entendimentos mediados pelas interação autênticas entre pares.
The literature supports convergences in emphasizing that the initial and continuing training of teachers to assess learning related to the curricular component of Mathematics in Basic Education prioritizes instrumental dimensions of technical rationality. It is configured, therefore, as imperative, the objective and grounded explanation of the conditions of possibility for actions antagonistic to such an adverse scenario. In order to promote knowledge committed to the undisputed need to overcome this systemic hegemony, the present work, anchored in guidelines defining the professional practice of teachers, undertook analyses aimed at proposing constitutive elements of communicative action, namely elements with the potential to foster dialogical interactions and discursive negotiations necessary for the construction of intersubjective consensuses. More specifically, this study focused on discussing and analyzing the implications for the continuing education of Mathematics teachers arising from the mandatory exposure of students to external assessments in the State of São Paulo: the SARESP (School Performance Assessment System of the State of São Paulo) and the AAP (Assessment of Learning in Process). Grounded in Jürgen Habermas's Theory of Communicative Action, the aim is to generate knowledge about the nature of possible connections between politics, documentation, and the instrumentalization necessary for the implementation of this educational public policy for assessing school performance and the discourse of teachers exposed daily to such public policy. A qualitative study is presented, based on a case study in a state school in the interior of São Paulo, developed from documentary analysis of SARESP results, the skills assessed by AAPs, and the respective performances by school term (years and grades) of Elementary and High School considering the items (questions) linked to such performances, in addition to semi-structured interviews conducted with mathematics teachers and the pedagogical coordination. From the analysis of the SARESP results, the skills assessed by the AAP, the linked performances, and the interviews conducted, it can be evidenced that mathematics teachers are unaware of various information produced by the execution of assessment instruments. It is argued that such information, although having the potential for professional development, in the face of teachers' ignorance, lacks the formative dimension that they could exert through assertive guidance, grounding speech acts in discursive interactions on dimensions of external and large-scale assessments produced within the educational institutions themselves. In light of these results, Habermas's Theory of Communicative Action is presented as a support for mathematics teachers to analyze formative constraints arising from the ignorance of the analytical potential that an external assessment may have and to incorporate them, as constitutive elements, into a situation that favors thinking about their training and action, favoring public spaces for discursive negotiations for the construction of consensuses and understandings mediated by authentic interactions among peers.

Descrição

Palavras-chave

Ensino Público, Habilidades, SARESP, AAP

Como citar

POSTINGUE, T. P. Avaliações externas e a formação continuada de professoras de matemática na educação básica: sobre elementos constitutivos do agir comunicativo. 2023, n. 202 f. Tese (Doutorado em Educação para Ciência) - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Bauru, SP, 2023. Disponível em: https://hdl.handle.net/11449/253245. Acesso em: 08 de fev. 2024.