Educação, filosofia e magia: uma anarqueologia do cuidado de si entre o daimon e os sonhos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-02-28

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Esta tese é uma investigação transversal entre os campos da Educação, da Filosofia e da Magia. O percurso singular de minha existência, aliado à percepção da emergência de saberes e práticas da magia enquanto possibilidade de resistência à biopolítica e ao neoliberalismo na atualidade, possibilitou enunciar a problemática de pesquisa nos seguintes termos: Como a relação entre filosofia e magia permite experimentarmos outra educação filosófica no tempo presente? O meu objetivo geral é desenvolver usos aproximados entre magia e filosofia que problematizem práticas vigentes em nossa formação acadêmica em filosofia. Experimento a hipótese de que tornar visível a ética do cuidado de si em sua dimensão arcaica – cronologia emergente da filosofia ocidental - permite uma integração ao campo da magia como possibilidade de ensaiar um tipo de educação filosófica que amplia o conjunto de técnicas de si para além do pensamento crítico e do humanismo como paradigma epistemológico e disciplinar que nos subjetiva atualmente. Penso o cuidado de si enredado a dois conceitos-chave que a ele se relacionam no período arcaico: o daimon e os sonhos. A especificidade de meu objeto convida Michel Foucault como o principal referencial teórico de tese, mas exige que eu pense com e para além dele. Tal movimento incorre por quatro objetivos específicos, sintetizados como capítulos de tese: (1) Ensaio uma anarqueologia como procedimento e atitude de pesquisa, mostrando certa interface (in)desejável entre biopolítica e magia e também o gesto de apagamento do pensamento visionário promovido pelo discurso secularizado da filosofia. (2) Escavo os rastros arcaicos da filosofia tomando como ponto focal o liame entre cuidado e uso de si, que me conduziu ao xamanismo, permitindo pensar certa face esotérica e exotérica da filosofia. Trato Sócrates por mestre infame do cuidado de si, figura dobradiça entre os paradigmas da filosofia e magia, tornando visível a farmacologia como outra face da filosofia. (3) Penso a dimensão onírica do cuidado de si. Analiso dois sonhos vistos por Sócrates a fim de ensaiar uma filosofia da expressão enredada ao ato da escrita como alquimia de si. Os sonhos nessa direção compreendem uma dimensão ética, profética e curativa que extrapolam a singularidade da psique, encontrando no enfrentamento da morte uma insurreição como espiritualidade política do comum. (4) Por fim, produzo uma anarqueologia do daimon com ressonância para o cuidado de si, que possa integrar a espiritualidade ascética, em sua tarefa de autoformação e transformação de si, à erótica como destinação enredada pelo cultivo dos desejos. Problematizo, dessa maneira, como a experiência-limite daimoníaca permite expor as fissuras da estrutura democrática do Ocidente. Tal caminhada tem me possibilitado ensaiar uma educação filosófica pelo dom, que integre uma ontologia da alma à estilística da existência pela dimensão ascética e erótica do cuidado de si como desafio para a contemporaneidade.
This thesis is a transversal investigation across the fields of Education, Philosophy and Magic. The singular path of my existence, combined with the perception of the emergence of knowledge and practices of magic as a possibility of resistance to biopolitics and neoliberalism today, supported the research problem in the following terms: How does the relationship between philosophy and magic allow us to experience another philosophical education at the present time? My general objective is to develop bordering uses between magic and philosophy that problematize prevailing practices in our academic formation in philosophy. I experiment with the hypothesis that making the ethics of care of the self visible in its archaic dimension - an emerging chronology of Western philosophy - allows integration into the field of magic as a possibility to rehearse a type of philosophical education that expands the set of self-techniques beyond critical thinking and humanism as an epistemological and disciplinary paradigm that currently subjective us. I think of care of the self tied to two key concepts that relate to it in the archaic period: the daimon and dreams. The specificity of my object invites Michel Foucault as the main theoretical framework of the thesis, but it requires me to think with and beyond him. This movement arises from four specific objectives, synthesized as thesis chapters: (1) I rehearse an anarcheology as a research procedure and attitude, showing certain (un)desirable interface between biopolitics and magic, and also the gesture of erasing the visionary thought promoted by the secularized speech of philosophy. (2) I excavate the archaic traces of philosophy taking as a focal point the link between care and use of the self, which led me to shamanism, allowing me to think about an esoteric and exoteric face of philosophy. I treat Socrates as an infamous master of care of the self, a hinge between the paradigms of philosophy and magic, making pharmacology visible as another face of philosophy. (3) I think of the dream dimension of care of the self. I analyze two dreams seen by Socrates to rehearse a philosophy of expression entangled in the act of writing as self-alchemy. Dreams in this direction comprise an ethical, prophetic and healing dimension that exceed the uniqueness of the psyche, finding an insurrection as a political spirituality of the common in the face of death. (4) Finally, I produce an anarcheology of the daimon with resonance for care of the self, which can integrate ascetic spirituality in its task of self-formation and transformation of itself to erotic as a destination entangled by the cultivation of desires. I question, in this way, how the daimoniac limit-experience allows to expose the fissures of the democratic structure of the West. Such path has enabled me to rehearse a philosophical education by gift, which integrates an ontology of the soul with the stylistics of existence through the ascetic and erotic dimension of care of the self as a challenge for contemporary times.

Descrição

Palavras-chave

Educação filosófica, Magia, Anarqueologia, Cuidado de si, Daimon, Sonhos, Philosophical education, Magic, Anarcheology, Care of the self, Dreams

Como citar