Comparação do efeito da fadiga muscular no andar livre e adaptativo entre adultos jovens e idosos

dc.contributor.advisorGobbi, Lilian Teresa Bucken [UNESP]
dc.contributor.advisorBarbieri, Fabio Augusto [UNESP]
dc.contributor.authorTakaki, Camila Barbarini [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2015-03-23T15:29:25Z
dc.date.available2015-03-23T15:29:25Z
dc.date.issued2010
dc.description.abstractA fadiga muscular é definida como uma falha no sistema neuromuscular na capacidade de gerar uma força requerida ou esperada. Quanto maior a idade do indivíduo, maior é a probabilidade de chegar à fadiga, aumentando o risco de quedas. Dessa forma, a fadiga pode influenciar no andar dos indivíduos, causando prejuízos no controle postural e podendo causar lesões músculo-esqueléticas A partir dos estudos realizados, percebe-se que a fadiga muscular pode prejudicar o desempenho do andar, sendo ele adaptativo ou não. O objetivo do estudo foi analisar e comparar a influência da fadiga muscular sobre os parâmetros cinemáticos do andar livre e adaptativo entre adultos jovens e idosos. Participaram do estudo 20 indivíduos, distribuídos em dois grupos etários: Adulto Jovem - 20 a 40 anos; e Idoso - a partir de 60 anos. Os participantes realizaram o andar livre e adaptativo percorrendo uma distância retilínea de 8 metros sobre um carpete de borracha com 1,4m de largura. Foram realizadas 6 tentativas para cada condição experimental. Para a coleta dos dados cinemáticos dos ciclos do andar definidos foi utilizado um sistema tridimensional (3D) optoeletrônico de análise do movimento (OPTOTRAK Certus – 3D Motion Measurement System, NDI), com precisão de 0,1 mm, posicionado no plano frontal, face anterior, ao movimento do participante, com frequência de 100 Hz. A indução a fadiga será através da tarefa de sentar e levantar. Para a comparação entre os dois grupos foram analisados as seguintes variáveis espaciais e temporais do andar livre e adaptativo: comprimento de cada passo, largura de cada passo, velocidade média do andar, distância horizontal pé-obstáculo antes da ultrapassagem, distância horizontal depois do obstáculo e distância vertical péobstáculo. Estas variáveis foram analisadas durante o ciclo do andar antes e após fadiga muscular.pt
dc.format.extent31 f.
dc.identifier.aleph000632261
dc.identifier.citationTAKAKI, Camila Barbarini. Comparação do efeito da fadiga muscular no andar livre e adaptativo entre adultos jovens e idosos. 2010. 31 f. Trabalho de conclusão de curso (licenciatura - Educação física) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2010.
dc.identifier.filetakaki_cb_tcc_rcla.pdf
dc.identifier.lattes9868835271822421
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/121514
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourceAleph
dc.subjectExercícios físicospt
dc.subjectFadiga muscularpt
dc.subjectCaminhar - Fadiga muscularpt
dc.subjectLesões músculo-esqueléticaspt
dc.titleComparação do efeito da fadiga muscular no andar livre e adaptativo entre adultos jovens e idosospt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
unesp.author.lattes9868835271822421
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Rio Claropt
unesp.undergraduateEducação Física - IBRCpt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
takaki_cb_tcc_rcla.pdf
Tamanho:
672.48 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format