Sintomas da intoxicação inicial de Eucalyptus proporcionados por subdoses de glyphosate aplicadas no caule ou nas folhas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2011-12-01

Autores

Salgado, T.P
Alves, P.L.C.A [UNESP]
Kuva, M.A
Takahashi, E.N
Dias, T.C.S
Lemes, L.N

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas

Resumo

Com o objetivo de avaliar os sintomas de intoxicação causados pela aplicação de glyphosate, foi montado um estudo composto por quatro ensaios com aplicações de glyphosate (360 g e.a. L-1) em eucalipto. em todos os ensaios, mudas foram transplantadas em vasos de 5,0 L. Nos ensaios 1 e 2, foram aplicados volumes crescentes de solução de glyphosate no caule do eucalipto. No ensaio 1, a solução de 3% (v/v) foi aplicada nos volumes de 0, 1, 5, 10, 20, 40, 80 e 160 µL de calda por planta e, no segundo, a solução de glyphosate a 2% (v/v) foi aplicada nos volumes de 0, 1, 5, 15, 30, 60, 90, 120 e 150 µL de calda por planta. Nos ensaios 3 e 4, foram feitas aplicações de glyphosate sobre as plantas de eucalipto. No ensaio 3, as doses foram de 0, 7,2.10-7, 7,2.10-6, 7,2.10-5, 7,2.10-4, 7,2.10-3, 7,2.10-2, 7,2.10-1, 7,2, 72, 360 e 720 g e.a. de glyphosate ha-1 e, no ensaio 4, de 0, 9, 18, 36, 72, 144, 288, 432, 576, 720, 1.080, 1.440 e 2.160 g e.a. de glyphosate ha-1. Nos quatro ensaios foi utilizado o delineamento DIC, com três repetições. Nas plantas, foram avaliadas a altura, a área foliar e a matéria seca de caule e folhas. Os resultados obtidos foram submetidos a análises de regressão. Quando aplicadas no caule, doses de 40,78 e 51,41 µL de calda por planta de glyphosate a 3 e 2% (v/v), respectivamente, nos ensaios 1 e 2, foram suficientes para redução média de 50% das características estudadas. Nas aplicações sobre as folhas, houve maior sensibilidade das plantas mais desenvolvidas. Para redução média de 50% nas variáveis analisadas, foram necessárias doses de 277,4 e 143,3 g e.a. de glyphosate ha-1 nos ensaios 3 e 4, respectivamente.
This work was carried out to evaluate intoxication symptoms caused by glyphosate application. It was constituted by four assays with glyphosate applications (360 g a.e. L-1) on eucalyptus. In all assays, seedlings were transplanted into 5.OL plastic pots. In assays 1 and 2, increasing herbicide volumes were applied on the stem. In the first one, a glyphosate solution of 3% (v/v) was applied at the volumes 0, 1, 5, 10, 20, 40, 80 and 160 µL solution per plant, and in the second, glyphosate solution of 2% (v/v) was applied at volumes 0, 1, 5, 15, 30, 60, 90, 120 and 150 µL solution per plant. In assays 3 and 4, glyphosate was sprayed on the plants. The rates in the third assay were: 0, 7.2 10-7, 7.2 10-6, 7.2 10-5, 7.2 10-4, 7.2 10-3, 7.2 10-2, 7.2 10-1, 7.2, 72, 360 and 720 g a.e. of glyphosate ha 1, and in the fourth assay, the rates were: 0, 9, 18, 36, 72, 144, 288, 432, 576, 720, 1.080, 1.440 and 2.160 g a.e. of glyphosate ha-1. All assays were arranged in a randomized design, with three replications. Height, leaf area, and dry mass of the leaves and stem were evaluated in the plants and the results were submitted to regression analysis. When applied on the stem, doses of 40.78 and 51.41 µL per plant of glyphosate solution, 3 and 2% (v/v), respectively, were sufficient to reduce eucalyptus development in 50%. When applied on the plants, more developed plants showed greater sensitivity.Rates of 277.4 and 143.3 g a.e. ha-1 reduced eucalyptus growth in 50%, in assays 3 and 4, respectively.

Descrição

Palavras-chave

crescimento, deriva, fitointoxicação, floresta, herbicidas, growth, drift, plant toxicity, forest, herbicides

Como citar

Planta Daninha. Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas , v. 29, n. 4, p. 913-922, 2011.

Coleções