Produção e perfil socioeconômico dos agricultores participantes da Feira Livre de Ilha Solteira-SP

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-12-14

Autores

Freitas, Rodrigo Castilho

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

As feiras se apresentam como uma forma de comercialização tradicional e consolidada, tendo surgido no Brasil com o processo de colonização portuguesa e atualmente predominando as feiras livres que se constituem em um importante circuito curto de comercialização para os agricultores familiares. O objetivo deste trabalho é analisar a comercialização e identificar aspectos da diversidade de produção e o perfil socioeconômico dos agricultores que comercializam na Feira Livre de Ilha Solteira-SP que ocorre aos domingos, das 6 às 12 horas, em uma área construída e destinada a esta finalidade na altura do Passeio Caracol, na Avenida Brasil Norte. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação de um formulário que levantou dados sobre o perfil socioeconômico dos agricultores feirantes, aspectos gerais do estabelecimento em que se dá a produção, tipo e diversidade da produção, outras formas de comercialização utilizadas e o percentual de renda obtido com a produção e a comercialização na Feira Livre. A análise dos dados obtidos no referido levantamento evidenciou que os produtores que comercializam na Feira Livre de Ilha Solteira-SP se enquadram como agricultores familiares, predominando sujeitos com baixa escolaridade, na faixa etária de mais de 60 anos, com pouco mais de 50% de mulheres, produção em assentamentos rurais do próprio município, sendo que 82,8% dos agricultores residem nos estabelecimentos rurais, produzem há menos de 20 anos e participam desta Feira Livre de Ilha Solteira há menos de dez anos. Pouco mais da metade dos produtores comercializa unicamente na Feira e quase dois terços obtém por meio desta parte representativa do total da renda bruta agropecuária, sendo que a principal forma de comercialização ocorre em circuitos curtos por meio de venda direta ao consumidor. A ampla diversidade da produção local possibilita que os consumidores tenham uma alimentação de qualidade, sendo imprescindível que políticas públicas sejam aplicadas e fortalecidas para que a população tenha cada vez mais acesso a alimentos saudáveis e que estes não faltem à sociedade como um todo.
The fairs are presented as a traditional and consolidated form of commercialization, having emerged in Brazil with the Portuguese colonization process and currently predominating the free fairs that constitute an important short food supply chain for family farmers. The objective of this work is to analyze the commercialization and identify aspects of the diversity of production and the socioeconomic profile of the farmers who commercialize in the Feira Livre de Ilha Solteira-SP that takes place on Sundays, from 6 am to 12 pm, in a built area destined for this purpose, at Passeio Caracol, on Avenida Brasil Norte. Data collection was carried out through the application of a form that gathered data on the socioeconomic profile of the farmers, general aspects of the establishment in which the production takes place, type and diversity of production, other forms of commercialization and the percentage of income obtained from production and commercialization at the free fair. The analysis of the data obtained in the survey showed that the producers who sell at the Feira Livre de Ilha Solteira-SP are classified as family farmers, with a predominance of subjects with low schooling, aged over 60 years, with just over 50% women, production in rural settlements in the municipality itself, 82.8% of farmers reside in rural establishments and producing for less than 20 years and participate in this Feira Livre de Ilha Solteira for less than ten years. Just over half of the producers sell only at this Fair and almost two thirds obtain through this a representative part of the total gross agricultural income, with the main form of commercialization taking place in short food supply chains through direct sales to the consumer. The wide diversity of local production allows consumers to have quality food, being essential that public policies are applied and strengthened so that the population has increasingly access to healthy foods and that they do not lack to the society.

Descrição

Palavras-chave

Diversidade de produção e comercialização, Circuitos curtos de comercialização, Geração de renda, Agricultores familiares, Production and commercialization diversity, Short food supply chains, Income generation, Family farmers

Como citar