Composição químico-bromatológica da silagem de milho e guandu-anão consorciado ou não com capim marandu

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-05-13

Autores

Ludkiewicz, Mariana Gaioto Ziolkowski

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O milho é a cultura mais utilizada para produção de silagem em monocultivo, mas o seu consórcio com forrageiras tropicais (gramíneas) e adubos verdes (leguminosas), como guandu-anão, em sistemas integrados de produção agropecuários (SIPA), tem sido uma opção vantajosa para aumentar a produção de matéria seca e a qualidade bromatológica do material vegetal a ser ensilado. Assim, o objetivo da pesquisa foi avaliar, em um LATOSSOLO VERMELHO Distrófico, de textura argilosa, por dois anos, a produtividade de matéria seca, teor de proteína bruta, cinzas, extrato etéreo, fibra em detergente neutro e ácido, hemicelulose, celulose, lignina, nitrogênio insolúvel em detergente neutro e ácido de silagens do consórcio milho e guandu-anão em diferentes densidades de semeadura com ou sem o capim Marandu em sistema integrado de produção agropecuária sob Sistema Plantio Direto. O trabalho foi desenvolvido na FEPE, pertencente à Unesp, Campus de Ilha Solteira, localizada em Selvíria-MS. O delineamento experimental foi em blocos casualizados em esquema fatorial 2 x 5, com quatro repetições, sendo milho consorciado ou não com capim Marandu, com espaçamento entrelinhas de 0,45m, e cinco densidades de semeadura do guandu-anão (0, 6, 12, 18 e 24 sementes m-1). O consórcio de milho com capim Marandu e guandu-anão na safrinha proporciona maior produtividade de matéria seca para ensilagem. O consórcio triplo propicia maiores teores de proteína bruta na silagem de planta inteira de milho, com até 15 sementes m-1 de guandu-anão, na semeadura. A utilização da Urochloa brizantha cv. Marandu no consórcio com milho e guandu-anão até 6 sementes m-1 não altera a produção e melhora a composição químico-bromatológica da silagem.
The corn is the crop more used for silage production in single crop, but this intercrop with tropical forage and green fertilizers, as dwarf pigeon pea, in crop livestock systems, has been an advantageous option to increase the dry matter yield and the chemical quality of the vegetable to be ensiled. Thus, the objective of the research was to evaluate the dry matter yield, the crude protein content, ash, ethereal extract, neutral and acid detergent fiber, hemicellulose, cellulose, lignin, neutral and acid Detergent Insoluble Nitrogen content of silage from corn in consortium with dwarf pigeon pea at different seeding densities with or without Marandu grass in crop livestock system under no-tillage for a two years. The work was developed at Cerrado area, belonging to Unesp - Ilha Solteira, located in Selvíria-MS, Brazil. The experimental design was a randomized complete block design in a 2 x 5 factorial scheme with four replicates, being corn intercropped with Marandu grass, with row spacing of 0.45m, and five dwarf pigeon pea densities (0, 6, 12, 18 and 24 seeds per meter). The maize consortium with Marandu grass and dwarf pigeon pea in the interim-harvest provides higher productivity of dry matter for silage. The triple consortium provides higher crude protein levels in whole plant silage of corn, with up to 15 seeds m-1 of dwarf pigeon pea, at seeding. The use of Urochloa brizantha cv. Marandu in the consortium with corn and dwarf pigeon pea up to 6 seeds m-1 doesn’t change the production and improves the chemical-bromatological composition of the silage.

Descrição

Palavras-chave

Zea mays, Urochloa brizantha, Cajanus cajan, Integração lavoura pecuária, Crop-livestock integration

Como citar